Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

5 efeitos benéficos dos exercícios para a sociedade

Em um congresso sobre atividade física e saúde pública, especialistas destacaram o potencial da movimentação para promover melhorias ao redor do mundo

Por Theo Ruprecht - Atualizado em 19 dez 2016, 18h32 - Publicado em 19 dez 2016, 18h18

Recentemente, a cidade de Bangkok, na Tailândia, sediou o sexto Congresso Internacional de Atividade Física e Saúde Pública. Ao término do evento, vários profissionais se reuniram e escreveram um documento em que pedem apoio para priorizar o combate ao sedentarismo — caso contrário, a meta da Organização Mundial da Saúde de reduzir em 10% a inatividade física em crianças até 2025 não será cumprida.

Nesse manifesto, são destacados diversos problemas que certamente serão amenizados caso a atividade física ganhasse mais atenção das autoridades e da população como um todo. Elas vão além dos benefícios diretos à saúde, que, por si só, já seriam suficientes para justificar investimentos vultosos na área. Separamos desse material alguns pontos para você ficar de olho:

 

Continua após a publicidade

1) Atividade física é um fator-chave para controlar a epidemia de doenças crônicas

Diabete, obesidade, hipertensão… A lista de problemas não infecciosos que vêm afetando cada vez mais gente é extensa. E boa parte dela pode ser prevenida (e mesmo tratada) à base de suor.

Continua após a publicidade

É crucial reconhecer isso para que os sistemas de saúde pensem mais em prevenção do que apenas em fazer diagnósticos e prescrever remédios. Isso inclusive aliviaria os custos na área da saúde.

 

Continua após a publicidade

2) Pode reduzir o número de acidentes de carro

Uma das formas mais inteligentes e modernas de incentivar a atividade física é priorizar transportes públicos, além de valorizar calçadas e o uso da bicicleta. Ao adotar tais medidas, o número de automóveis circulando cai, o que diminui o risco de batidas. Além disso, estudos mostram que, quanto mais gente caminhando ou andando de bike, maior a conscientização dos motoristas com eles e com o fluxo do trânsito em si.

 

Continua após a publicidade

3) Aprimora a qualidade da educação nas escolas

Manter-se ativo na infância e na adolescência é um hábito associado a um melhor desempenho na escola e a um maior desenvolvimento cognitivo. Fora que, nas aulas de educação física, é possível aprender muito sobre a história de atividades culturais ligadas ao movimento.

Leia também: Férias! Que tal incentivar as crianças a fazer atividade física?

 

Continua após a publicidade

4) Diminui a desigualdade social

Primeiro que valorizar o transporte ativo democratiza a cidade — o custo para chegar a um local e usufruir dele é bem menor de bike do que de carro. Depois que a prática esportiva, quando estimulada de forma inclusiva, ignora aspectos econômicos e mesmo de gênero.

Continua após a publicidade

Todo mundo, não importa cor, classe, sexo ou credo social, pode se unir para se divertir com uma modalidade qualquer. Especialistas destacam que valores como respeito, senso de justiça e companheirismo são estimulados pelos esportes.

 

Continua após a publicidade

5) Ajuda a contornar mudanças climáticas

A poluição é um enorme fator de risco para problemas de saúde. Ao estimular mais caminhadas e pedaladas e menos automóveis, a concentração de poluentes na atmosfera certamente despencaria.

Publicidade