Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
O Futuro do Diabetes Por Blog Carlos Eduardo Barra Couri é endocrinologista e pesquisador da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), além de autor do livro O Futuro do Diabete (Ed. Abril). Aqui ele mapeia os cuidados e os avanços para o controle do problema

Novo medicamento marca uma nova era no tratamento da obesidade

Segundo estudo, o remédio tirzepatida resultou em uma perda de peso que se aproximou dos efeitos da cirurgia bariátrica. Nosso colunista comenta

Por Carlos Eduardo Barra Couri 7 jun 2022, 09h36

O grande destaque do congresso da Associação Americana de Diabetes é justamente um estudo em pessoas sem diabetes. Trata-se do tão esperado SURMOUNT-1 com voluntários que possuem obesidade (sem diabetes) e que avaliou o efeito da tirzepatida, uma molécula de injeção subcutânea semanal. 

A tirzepatida é um chamado coagonista, porque atua mimetizando dois hormônios intestinais: o GLP-1 e o GIP. Em conjunto, as substâncias induzem a uma perda de peso potente e por diferentes mecanismos, tanto cerebrais como via gastrointestinais. 

+Leia também: Atlas Mundial da Obesidade traz dados preocupantes

Nessa pesquisa, foram incluídas cerca de 2 500 pessoas com peso médio de 104 quilos e um índice de massa corporal de 38 kg/m2 – dentro do que é considerado obesidade. Durante o acompanhamento de um ano e meio, a perda média de peso com a maior dose do medicamento foi de cerca de 21%. 

Os efeitos colaterais mais comuns foram náusea (acometendo cerca de 30% das pessoas) e diarréia (20%). Na maioria das vezes, os sintomas foram leves e transitórios.  

Continua após a publicidade

A tirzepatida acabou de ser liberada nos Estados Unidos para tratamento de pessoas com diabetes tipo 2 e aguarda esta aprovação no Brasil. Ainda são necessários mais estudos para sua aprovação para obesidade. 

Compartilhe essa matéria via:

De qualquer forma, os resultados do SURMOUNT-1 são um marco no tratamento da obesidade, com altos índices de redução de peso na maior parte das pessoas incluídas. É o mais perto que chegamos do efeito da cirurgia bariátrica. 

Imagine que, no dia-a-dia de consultório, ainda poderemos associar a tirzepatida a outros tratamentos disponíveis e potencializar ainda mais os resultados. 

Mas, se me permitem, um recado que nunca pode ser deixado de lado: valorizem a alimentação saudável e a atividade física regular.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)