Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Whey protein para aumentar a massa muscular de idosos

Ao auxiliar na formação de músculos enquanto a idade avança, o suplemento se mostra um grande aliado da qualidade de vida

Por Tailise Souza, PhD em biologia molecular*
Atualizado em 15 abr 2021, 19h15 - Publicado em 15 abr 2021, 18h44

Todos nós queremos manter bons níveis de massa muscular em nosso corpo, não é mesmo? Isso nos dá força e agilidade nas atividades rotineiras, além de contribuir para a manutenção da saúde e do equilíbrio físico. Esses atributos são especialmente importantes entre idosos, já que evitam a ocorrência de quedas.

No entanto, conforme envelhecemos, perdemos massa muscular progressivamente. Para ter uma ideia, essa redução é de 3 a 8% por década depois que passamos a marca dos 30 anos. E essa porcentagem pode ser ainda maior após os 60.

Quando esse processo se intensifica, causando não apenas diminuição da massa muscular esquelética, mas também a perda de eficiência na execução de atividades comuns, ele é chamado de sarcopenia. Esse quadro pode levar a problemas de saúde e também a dificuldades na realização de tarefas do dia a dia.

Porém, a ciência tem boas notícias nessa área: é possível frear a perda de massa muscular, evitando a sarcopenia. E uma maneira de fazermos isso já é bem conhecida na comunidade fitness: suplementação alimentar com whey protein.

Esse produto é baseado nas proteínas do soro do leite. Elas são conhecidas por seu alto valor biológico. Significa que apresentam todos os aminoácidos que nosso corpo não é capaz de fabricar – e em quantidades caprichadas.

Continua após a publicidade

Um estudo publicado por pesquisadores holandeses no American Journal of Physiology Endocrinology and Metabolism demonstrou que, em 33 voluntários com idade acima de 70 anos, o consumo de whey protein ajudou a aumentar a massa muscular. No trabalho, os participantes tomaram 10, 20 ou 35 gramas do suplemento – e o melhor resultado apareceu entre quem ingeriu a maior quantidade dele.

Apesar disso, não devemos consumir whey protein em excesso, já que o abuso pode afetar a saúde de órgãos, como os rins. Nunca é demais lembrar que cada corpo é diferente. Então, fale com o seu médico antes de tomar o suplemento. O ideal é que o profissional chegue à dose adequada para você, combinado?

Turbinando os efeitos

Uma revisão da literatura científica publicada em 2020 no jornal Foods também concluiu que colocar o whey na rotina ajuda a desenvolver a massa muscular em idosos, protegendo contra sarcopenia. Mas os autores foram além: eles constataram que os melhores resultados são obtidos por meio da combinação do uso do suplemento com a prática de exercícios físicos de resistência, a exemplo da musculação.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com evidências citadas no artigo, focar apenas na prática de exercício físico ficou em segundo lugar no quesito formação de músculos. Em terceiro, veio o ganho gerado somente pelo consumo de whey. Isso não chega a ser uma surpresa: uma alimentação balanceada associada a um estilo de vida ativo são sempre a melhor aposta.

Então, se você tiver a intenção de aumentar a massa muscular, vale a pena levantar a possibilidade de consumir whey protein com um nutricionista ou médico. Lembre-se de que o ganho de músculos levará tempo. Por isso, acompanhamento profissional e paciência serão fundamentais, assim como a prática regular de exercícios físicos. E nunca substitua tratamentos prescritos por um profissional de saúde por suplementos alimentares ou naturais, ok?

* Tailise Souza é PhD em biologia molecular pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, e pesquisadora na área de envelhecimento

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.