Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Janeiro Branco se torna um movimento em prol da cultura da saúde mental

Psicólogo que criou essa campanha faz uma retrospectiva da sua jornada e fala da importância de focar em saúde emocional o ano inteiro

Por Leonardo Abrahão, psicólogo e palestrante*
16 jan 2023, 14h47

O tema da campanha Janeiro Branco deste ano está sendo um dos mais importantes de toda a sua história: “A vida pede equilíbrio!“. Mais do que nunca, faz-se urgente e necessário que as pessoas e as instituições sociais entendam e encarem a necessidade universal de uma “cultura de saúde mental.

Sem saúde mental, a nossa qualidade de vida fica prejudicada e, por isso, esse é um assunto que se refere a todos.

Mas o que é saúde mental? Como psicólogo, penso que é muito mais do que a definição dada em consenso nos últimos anos, ou seja, “ausência de doenças emocionais”.

Entendo saúde mental, também, como uma definição de vida digna a todos, com justiça social, paz nas relações, harmonias subjetivas e objetivas, vidas com sentidos e propósitos saudáveis, relações de trabalho honestas e saudáveis, além de processos políticos, sociais, econômicos e culturais que garantam igualdade e a equidade de oportunidades e tranquilidade para todos os seres humanos – inclusive dentro do ambiente de trabalho.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Receita de bem-estar para 2023

Em janeiro de 2014, pensando em contribuir para o propósito de trazer essa cultura para a sociedade, eu tive a ideia de criar o movimento Janeiro Branco na cidade de Uberlândia (MG).

Desse modo, convidei psicólogos e psicólogas para falarem sobre diversos temas que envolviam a saúde mental, como qualidade de vida, bem-estar psíquico, paz emocional, autoconhecimento e educação sócio-emocional nos relacionamentos.

Continua após a publicidade

Os debates aconteciam em espaços públicos e privados da cidade, para empresas, organizações e sociedade. Não imaginava que cresceríamos tanto ano a ano, apesar de esse ser nosso objetivo.

A iniciativa teve tanto êxito que, além de inspirar leis municipais e estaduais em todo o Brasil, quando chega janeiro, ocorrem diversas ações com foco em saúde mental no país inteiro, como palestras, rodas de conversa, tira-dúvidas, workshops, caminhadas, panfletagens, plantões psicológicos, entrevistas, postagens virtuais, lives e até eventos artísticos.

Compartilhe essa matéria via:

Desde 2016, as atividades alcançaram o exterior, em países como Japão, Angola, Portugal, Estados Unidos, Colômbia, Cabo Verde, Espanha, França e Holanda.

Mas, agora, precisamos que o Movimento Janeiro Branco leve conhecimento sobre saúde mental durante todos os outros meses do ano, continuamente se consolidando como uma campanha em prol da saúde mental, de janeiro a janeiro.

Assim, em 2018, senti a necessidade de criar o Instituto Janeiro Branco, uma organização civil sem fins lucrativos, como uma forma de gerenciar e potencializar ainda mais a campanha. Desde então, a ONG vem trabalhando para a psicoeducação da sociedade e no desenvolvimento de projetos sociais de atenção à saúde mental e emocional da população.

Continua após a publicidade

Nesta 10ª edição da campanha, venho percebendo que o diálogo e os debates sobre esse tema estão ajudando a educar a sociedade sobre o que realmente é saúde mental e o que favorece a nossa saúde e da própria humanidade. Está tudo entrelaçado.

O mais importante é que estamos conquistando cada vez mais espaço para falar sobre o equilíbrio emocional, principalmente após a pandemia, quando as pessoas passaram a olhar mais para transtornos como depressão, ansiedade e estresse.

O Janeiro Branco é um movimento que se assemelha a um guarda-chuva: sob ele, ocorrem processos que vão desde a psicoeducação dos indivíduos até processos de conscientização social a respeito da importância de políticas públicas para a saúde mental e as necessidades psicossociais da população.

Continua após a publicidade

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

Estamos caminhando para que cada vez mais os governantes e a sociedade enxerguem o movimento como uma “filosofia de vida e de trabalho”, com potencial para ser onipresente na vida dos indivíduos e nas instituições sociais, públicas e privadas.

Aproveito este espaço para dizer que a campanha Janeiro Branco se torna, agora, um movimento que trabalhará o ano todo em prol da saúde mental.

Continua após a publicidade

E termino o meu artigo citando uma frase do político britânico Winston Churchill que exemplifica bem a alma da campanha Janeiro Branco, que é a de levar conhecimento para as pessoas: “Se você possui conhecimento, deixe os outros acenderem as suas velas com ele.”

*Leonardo Abrahão é psicólogo, palestrante, escritor, idealizador do Movimento Janeiro Branco e presidente do Instituto Janeiro Branco

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.