Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Gestação e puerpério: também é importante cuidar da saúde mental da mãe

Qual o real impacto da gravidez, do parto e do puerpério na mulher? Uma psicóloga aborda esse momento único – e repleto de desafios – na vida

Por Katherine Sorroche, psicóloga*
14 dez 2023, 09h57

Assim que se descobre grávida, a mulher já começa a passar pelas transformações que chegam com a maternidade. E não somente as físicas e hormonais, mas principalmente as mudanças emocionais.

Conforme a gestação se desenvolve, surgem medos e preocupações. Por ser tudo muito novo, é um período propenso ao surgimento ou agravamento de quadros de ansiedade, depressão, distúrbios alimentares, transtorno obsessivo compulsivo, entre outros. 

A saúde mental materna nunca esteve tanto em pauta. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma a cada cinco mulheres tem pelo menos um episódio de transtorno mental ao longo da gravidez e até um ano após o parto

Para ampliar o cuidado com a saúde integral da mulher, foi sancionada Lei nº 14.721/2023, que prevê a ampliação da assistência psicológica às mulheres no período que vai desde a gravidez, passando pelo parto, até o puerpério fisiológico, ou seja, entre 40 e 60 dias após parto. 

+Leia também: Saúde mental das mulheres merece atenção redobrada

A lei obriga hospitais e estabelecimentos de saúde de gestantes, públicos ou privados, a desenvolverem atividades de conscientização sobre a saúde mental das mulheres grávidas e puérperas. Publicada, publicada em 09 de novembro de 2023, ele passa a valer em 180 dias. 

Continua após a publicidade

Tornar-se mãe é um período que traz também uma intensa fragilidade emocional, que se agrava diante de dificuldades como violência doméstica, complicações na gestação e parto, gravidez na adolescência e dificuldades socioeconômicas. 

Sendo assim, ter assegurado o direito à assistência psicológica é dar visibilidade a tais dificuldades e oferecer apoio profissional e psicoeducação sobre as mudanças que chegam com a gestação e puerpério. Só assim para diagnosticar e conduzir bem o cuidado para promoção do bem-estar mental e integral da mulher. 

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), os sintomas de depressão impactam 26,3% das mulheres brasileiras no período de 6 a 18 meses após o parto. Ainda de acordo com o estudo conduzido pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Ensp/Fiocruz), destacam-se entre os fatores associados à depressão:

  • História prévia de depressão
  • Gravidez não planejada
  • Baixa condição socioeconômica
  • Uso abusivo de bebida alcoólica e tabagismo

Para se beneficiar da assistência psicológica promovida pelo SUS, as gestantes, parturientes e puérperas devem, primeiro, passar por avaliação com profissional de saúde durante o pré-natal. Aí é possível fazer o encaminhamento para um psicólogo perinatal. 

Compartilhe essa matéria via:

Ter assistência psicológica durante a gestação, parto e puerpério é efetivo tanto para o diagnóstico, manejo e tratamento de transtornos perinatais (depressão gestacional, depressão pós-parto, transtorno de ansiedade) como para evitar esses problemas. 

Ainda que não haja a presença de um transtorno efetivamente, receber educação e informação acerca do puerpério fisiológico e emocional e da mudança de vida após a chegada do bebê certamente contribuem para atravessar esse período da forma mais segura e confiante.A assistência psicológica também é um grande aliado quando há gestação de risco, contribuindo para a compreensão maior da dinâmica que se estabelece, bem como para alívio da sobrecarga emocional. Essa é, certamente, uma área que precisa ser valorizada. 

*Katherine Sorroche é psicóloga e especialista em saúde mental da mulher e parentalidade

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.