Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Alimente-se

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Comer é muito mais do que ingerir nutrientes. Na receita de uma alimentação equilibrada, também há ingredientes comportamentais, emocionais, culturais e ambientais, como mostra a nutricionista Lara Natacci
Continua após publicidade

Compulsão alimentar: o que é e como lidar com ela?

Especialista revela sintomas e gatilhos que caracterizam esse distúrbio, além de práticas que, junto ao acompanhamento profissional, ajudam a controlá-lo

Por Lara Natacci
7 fev 2024, 18h02

A compulsão alimentar periódica é caracterizada por uma tendência frequente ao exagero no consumo de alimentos. A pessoa pode consumir, em um período limitado de tempo (por exemplo, dentro de duas horas) uma quantidade definitivamente maior que outros fariam em períodos e em circunstâncias similares. 

Existe uma sensação de falta de controle – é como um sentimento de incapacidade de parar de comer ou de determinar o que ou o quanto está comendo. Os episódios de compulsão alimentar periódica estão associados a três (ou mais) fatores como os abaixo:

  • Comer muito mais rapidamente que o normal
  • Comer até sentir-se incomodamente repleto
  • Comer grandes quantidades de alimentos quando não fisicamente faminto
  • Comer sozinho em razão da vergonha pela quantidade de alimentos que consome
  • Sentir repulsa por si mesmo, tristeza ou demasiada culpa após comer excessivamente

A gravidade da doença é mais determinada pelo comportamento alimentar do que pelo peso da pessoa. Quando as compulsões são mais frequentes e exageradas, os problemas psicológicos e orgânicos decorrentes são maiores – e a recuperação mais difícil.

+Leia também: Diabetes: não é só sobre o que comer, mas quando e como comer

Na prática, os aspectos mais importantes para identificar o distúrbio são a ocorrência de compulsões, no mínimo, dois dias por semana, em um período maior do que seis meses

Continua após a publicidade

A compulsão pode ser desencadeada por um fator emocional, como o estresse ou a ansiedade. Por outro lado, muitos estudos relacionam a restrição alimentar severa a episódios de perda de controle. 

Por isso, é importante evitar dietas muito restritivas, que podem aumentar a ansiedade. Esses regimes ainda podem diminuir o metabolismo, tornando o controle de peso mais difícil.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

Para ajustar a alimentação e reduzir o risco de compulsões, há estratégias como as abaixo:

Continua após a publicidade
  • Comer pequenas porções, várias vezes ao dia. Fazendo várias refeições  você dificilmente vai chegar à mesa morrendo de fome.
  • Mastigar muito! Enquanto você saboreia a refeição, seu cérebro tem tempo de perceber que está satisfeito. Para controlar o seu ritmo, coloque os talheres na mesa entre uma garfada e outra.
  • Focar na refeição. Nada de TV, celular ou computador enquanto estiver comendo.
  • Aumentar o consumo de fibras e proteínas. Elas aumentam a sensação de saciedade. Você come menos e demora a sentir fome novamente.
  • Tomar muita água, o dia todo, para manter o corpo hidratado e não correr o risco de confundir sede com fome.
  • Dormir bem, pelo menos sete horas por noite. Pessoas que dormem pouco têm mais tendência ao descontrole alimentar.
  • Fazer uma lista de atividades prazerosas, mas que não tenham relação com a comida. Quando vier a vontade de beliscar fora de hora, faça uma delas. Se for fome emocional, vai passar!

Por fim, é importante lembrar que o acompanhamento médico, psicológico e nutricional é imprescindível para uma boa evolução de quem tem compulsão alimentar.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.