Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Alimente-se

Comer é muito mais do que ingerir nutrientes. Na receita de uma alimentação equilibrada, também há ingredientes comportamentais, emocionais, culturais e ambientais, como mostra a nutricionista Lara Natacci
Continua após publicidade

A alimentação interfere na virilidade?

Nossa colunista desmistifica a relação entre a dieta e o desempenho sexual

Por Lara Natacci
Atualizado em 6 jan 2023, 16h57 - Publicado em 8 set 2022, 17h44

Virilidade está ligada a força, vigor e masculinidade. E realmente pode ser algo importante para o bem-estar e a qualidade de vida. Essa relação se torna ainda mais notável quando levamos em conta a alta prevalência de disfunções sexuais e de infertilidade na população mundial.

Sabemos que a idade, o estresse e até mesmo a alimentação podem afetar a função sexual e reprodutiva. Sim, inclusive a alimentação. Para que o corpo funcione de maneira satisfatória, ele precisa de combustível e nutrientes adequados.

Estudos mostram que alguns padrões de alimentação são bem-vindos quando se pensa num bom desempenho sexual. É o caso da dieta mediterrânea, que privilegia um grande consumo de frutas, hortaliças, azeite, peixes e grãos integrais e pede moderação na carne vermelha e em produtos ricos em açúcar e gordura.

Alimentos ricos em antioxidantes, como as frutas (especialmente as vermelhas e roxas), o café, o gengibre, as nozes e as verduras, são protetores da circulação. Não só afastam problemas no coração como diminuem o risco de o homem sofrer de disfunção erétil.

Outro nutriente já ligado à prevenção de disfunções sexuais é o ômega-3. O consumo dessa gordura poli-insaturada, encontrada em pescados e sementes, também é associado a menos chances de ter infertilidade. Na contramão, o abuso de gordura saturada (das carnes e dos produtos industrializados) parece concorrer a favor da maior dificuldade de ter filhos.

Continua após a publicidade

+ ASSISTA: Estudo revela que Covid-19 afeta função sexual e reprodutiva do homem

Além dos alimentos em si, deve-se tomar cuidado com a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, pois, apesar de poder aumentar a excitação, elas são capazes de piorar o desempenho sexual. O consumo tem de ser bastante moderado!

E os afrodisíacos? Dá para acreditar que existem alimentos que estimulam a vida sexual? Há pouca evidência científica a respeito. E não há milagre! Mas existem indícios de que alguns alimentos ajudam a melhorar o fluxo sanguíneo para os genitais, caso de abóbora, nozes, abacate e salmão.

Fontes de zinco são especialmente interessantes nesse sentido. Ostras e sementes de abóbora são redutos do mineral.

Continua após a publicidade

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

Algo que vem sendo cada vez mais demonstrado é a relação entre obesidade e disfunções hormonais, sexuais e reprodutivas. Dados recentes apontam um elo entre a obesidade e menores níveis de testosterona e infertilidade nos homens. Sabe-se que a queda na testosterona circulante contribui para a diminuição da libido e a disfunção erétil.

Manter um peso saudável, portanto, tem reflexos até na vida sexual. Mais um bom motivo para criar uma rotina de exercícios e, claro, cuidar da alimentação!

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.