Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
O Fim das Dietas Por Blog Antonio Lancha Jr., professor da Escola de Educação Física e Esporte da USP e autor do livro O Fim das Dietas (Ed. Abril), indica como emagrecer sem cair em promessas furadas.

A culpa do ganho de peso não é da pizza

Apesar de muitas vezes ser calórica, a pizza pode inclusive ajudar você em um treinamento para adotar uma dieta sustentável e emagrecedora

Por Antonio Lancha Jr. 14 dez 2020, 18h14

Quem me conhece pode achar que estou legislando em causa própria neste texto. Confesso que essa afirmação tem seu fundamento, porque sou apaixonado por pizza. Conheci essa iguaria italiana com meu pai, que a preparava em casa com umas formas feitas para assá-la na temperatura ideal. Aliás, amor à pizza também circunda amigos editores da Veja Saúde, certo Theo Ruprecht? (Observação do editor: sim!)

Com os meus conflitos de interesse expostos, vamos ao que interessa. Eu não nego que alguns sabores de pizza podem carregar um número considerável de calorias. Mas o fato de uma pizza vir dividida em pedaços traz uma oportunidade única de treinarmos uma forma diferente de se alimentar. Uma forma mais saudável e emagrecedora, diga-se.

Quando estamos famintos, comemos diversos pedaços rapidamente. Minha proposta é quebrar esse padrão na próxima vez que você pedir essa delícia no jantar. Faça o seguinte:

  • Escolha seu sabor predileto
  • Coma um pedaço com calma e, então, espere 15 minutos
  • Só aí pegue outro pedaço
  • Aguarde mais 15 minutos e, se estiver com fome, repita o procedimento, sempre dando tempo entre um pedaço e outro

Aposto que você vai acabar deixando mais pizzas na caixa dessa maneira. Mas por quê?

A sensação de que é hora de parar de comer é controlada por dois fenômenos. O primeiro é menos elaborado e se chama saciação. Ele diz respeito à quantidade de alimento que cabe em nosso estômago. E a gente precisa engolir bastante coisa pra enchê-lo.

Continua após a publicidade

O segundo é um processo requintado, com diversos moduladores gastrointestinais, cerebrais etc. Ele atende pelo nome de saciedade. Quando você consome um alimento lentamente, esse mecanismo tem tempo para entrar em cena e regular a ingestão sem necessidade de tantas garfadas.

  • Podemos tirar duas lições daqui:

    1.  Ao consumir alimentos mais lentamente, comeremos menos comida e menos calorias.
    2. Fazer refeições rapidamente culmina em abusos que ajudam a acumular pneuzinhos.

    Ou seja, dá para comer pizza sem engordar! Como mostrei, ela é um alimento que permite facilmente controlar a ingestão, porque você sempre pode dar um intervalo entre os pedaços.

    Em outros pratos, temos maior risco de errar, pois, ao nos servirmos com fome, pegaremos mais comida do que precisamos. E, na ânsia de forrar o estômago, não daremos tempo para a saciedade entrar em cena.

    Quem diria que a pizza é inocente — e ainda pode ser uma aliada no projeto de emagrecimento?!

    Continua após a publicidade
    Publicidade