Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Com a Palavra Por Blog Neste espaço coordenado pelo jornalista Diogo Sponchiato, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde

Inchaço nas pernas no verão: como lidar?

Calor, sol, muito tempo parado na mesma posição... Médico explica o que está por trás dos edemas nas pernas e como preveni-los

Por Bruno Naves, cirurgião vascular* Atualizado em 17 fev 2021, 17h11 - Publicado em 17 fev 2021, 10h02

Vamos começar recordando um conceito básico: as artérias são os vasos que levam o sangue do coração para as extremidades do corpo; as veias retornam com o sangue das extremidades para o coração; e os vasos linfáticos são aqueles que drenam a linfa, um líquido que impregna o organismo e é resultado de parcela do sangue que consegue extravasar vasinhos minúsculos, os capilares.

O sangue venoso e a linfa fluem no sentido antigravitacional, de baixo para cima, em direção ao coração. Lutar contra a gravidade por si só já dificulta o retorno desses líquidos. Eles precisam de um empurrão para subir.

Para que o retorno do sangue venoso e da linfa aconteça de forma eficiente, é necessário que a musculatura da panturrilha, que chamamos de coração venoso periférico, funcione bem e esteja em movimento. Então, quando ficamos muito tempo parados na mesma posição, sentado ou de pé, sem movimentar as pernas, dificultamos o retorno da circulação.

A respiração também ajuda, pois, quando respiramos direito, há uma diferença de pressão entre o tórax e o abdômen que aspira o sangue venoso e a linfa da coxa, o que auxilia no retorno venoso. Qualquer problema que dificulte a amplitude do movimento respiratório, como um abdômen volumoso e com excesso de gordura, pode atrapalhar esse processo.

Durante o verão, muita gente fica preocupada com o inchaço nas pernas. Por que isso acontece? O calor dilata as veias e aumenta a pressão que elas têm de fazer para jogar o sangue de volta ao coração. Manter o fluxo contra a gravidade nessas condições eleva a propensão ao edema venoso e linfático. Além disso, a incidência de sol direto nas pernas causa um retardo temporário na função dos vasos linfáticos. É um contexto que contribui para pernas mais inchadas.

  • O verão colabora de outras maneiras: mais viagens (e tempo sentado no carro), cerveja, aperitivos gordurosos e salgados, imobilização prolongada… Com o calor e o sol, temos uma receita certa para o inchaço.

    Mas dá para evitar o edema. Compartilho, a seguir, cinco medidas eficientes, especialmente úteis a quem sofre do problema.

    1. Eleve as pernas acima do coração pelo menos 15 a 20 minutos, três vezes ao dia. Isso é o que batizamos de drenagem postural intervalada.
    2. Se o calor dilata as veias, o frio contrai. Quando colocamos as pernas elevadas e associamos essa posição a uma compressa de água fria, conseguimos um resultado ainda melhor.
    3. Evite longos períodos parado na mesma posição. Exercite a musculatura da panturrilha, a famosa “batata da perna”. A cada 50 minutos parado, levante e se movimente por 10 minutos.
    4. Maneire nas comidas gordurosas ou salgadas. Elas dão sua pitada de contribuição aos inchaços.
    5. Aproveite o verão para colocar o corpo em forma. Faça pelos menos 30 minutos de atividade física diariamente. E procure intercalar exercícios aeróbicos (caminhada, corrida…) com resistidos (musculação, pilates….), também por 30 minutos.

    * Bruno Naves é cirurgião vascular e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV)

    Continua após a publicidade
    Publicidade