Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês

Probióticos contra a acne

Micro-organismos do bem são promissores no tratamento desse problema

Por Thaís Manarini - Atualizado em 21 ago 2020, 13h00 - Publicado em 26 jul 2020, 15h00

A acne é uma doença inflamatória que pode ser agravada pela proliferação da bactéria Propionibacterium acnes na pele. Por isso, muitas vezes são prescritos antibióticos para controlar o quadro. Mas há risco de o tiro sair pela culatra. “Bactérias tratadas inadequadamente sobrevivem a esses medicamentos e se tornam mais resistentes”, informa o dermatologista Thales Bretas, do Rio de Janeiro.

Sabendo disso, pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas do Irã revisaram vários estudos e concluíram que uma boa alternativa contra a acne é apostar nos probióticos, bactérias consideradas benéficas.

De acordo com Bretas, o artigo mostra o potencial desses micro-organismos na redução da inflamação e no combate àquela bactéria indesejada e ligada à piora das lesões. “Mas o papel dos probióticos deve ser mais bem destrinchado por novas pesquisas”, avisa.

Onde achar as bactérias boas

Alguns cremes de uso tópico já reúnem probióticos. “Eles podem ser prescritos para acne, dermatite atópica e peles sensibilizadas”, lista Thales Bretas. “Mas nunca como única solução”, frisa. Alimentos fontes dessas bactérias — como iogurtes, leites fermentados e kombucha — também têm seu valor. Segundo o médico, o efeito positivo na pele viria como reflexo da boa condição da microbiota intestinal, que contribui para menos inflamações pelo organismo.

Ilustrações: Laura Luduvig/SAÚDE é Vital
Continua após a publicidade
Publicidade