Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Suplementos vitamínicos não previnem doenças

Revisão de estudos indica que não há benefícios e uso generalizado pode até fazer mal

Por Ingrid Luisa
28 ago 2022, 09h05

Os suplementos de vitaminas são uma febre: no Brasil, 59% dos lares possuem pelo menos uma pessoa que os utiliza, e um levantamento da InterPlayers calcula que as vendas de produtos para imunidade aumentaram 28% nos últimos 12 meses.

Nos Estados Unidos, onde esse mercado movimenta cerca de 30 bilhões de dólares por ano, a Força-Tarefa de Serviços Preventivos, ligada ao governo, encomendou uma revisão das evidências sobre a eficácia de multivitamínicos, principalmente em relação à prevenção de câncer e doenças cardiovasculares.

Resultado: não há provas de um efeito protetor. “Pessoas saudáveis ​​devem receber os nutrientes adequados comendo uma variedade de alimentos com moderação, em vez de tomar suplementos”, indica a entidade.

+Leia também: Vitaminas para queda de cabelo? Melhor não tomar, alertam médicos 

Alimentos vitaminados

Uma dieta variada ainda é a melhor forma de obter os nutrientes

Vitamina K
– Vegetais verdes folhosos (brócolis, espinafre, alface,
rúcula, repolho etc.)
– Soja
– Nabo

Continua após a publicidade

Vitamina E
– Nozes, avelã e amêndoa
– Óleos de soja
e de milho
– Tomate
– Vegetais verdes

Vitamina C
– Frutas cítricas (limão, laranja, tangerina, acerola etc.)
– Brócolis, couve e salsa
– Pimentão
– Goiaba, caju e kiwi

Vitamina D
– Fígado bovino
– Gema de ovo
– Salmão, sardinha,
atum e cavalinha
– Cogumelos
– Espinafre

Vitamina A
– Cenoura e abóbora
– Fígado bovino
– Leite e derivados
– Gema de ovo
– Óleo de peixe
– Frutas alaranjadas

Vitamina B
– Ovo
– Vísceras (fígado, coração, língua…)
– Derivados do leite
– Folhas verdes
– Cereais integrais

Continua após a publicidade

+Leia Também: Vitaminas para a imunidade: mitos e verdades

Perigo para o pulmão?

O betacaroteno, antioxidante precursor da vitamina A naturalmente encontrado em alimentos de cor alaranjada, também está presente em cápsulas por aí. Mas o uso do suplemento isolado parece ser problemático. Estudos robustos apontam que, enquanto a versão natural da dieta protege o DNA das células e reduz o risco de câncer, a suplementação em altas doses aumenta a propensão a tumores no pulmão — sobretudo entre fumantes.

Compartilhe essa matéria via:

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.