Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Soja preta tem mais proteína do que feijão

Uma nova linhagem da leguminosa tem gosto mais suave e é mais fácil de cozinhar que o grão amarelo. E se destaca também pela qualidade nutricional

Por Goretti Tenorio - Atualizado em 28 jan 2020, 11h24 - Publicado em 28 jan 2020, 10h24

A coloração da soja produzida a partir das sementes BRSMG 715A já diz tudo: ela é rica em antocianina, pigmento que reduz danos causados pelos radicais livres ao organismo. Desenvolvida pela Embrapa, em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e com a Fundação Triângulo, a nova leguminosa é fruto de cruzamentos naturais.

“O intuito era buscar uma variedade capaz de aumentar a aceitabilidade da leguminosa”, conta o agrônomo Roberto Kazuhiko Zito, da Embrapa.

E a soja preta não só passou nos testes de sabor como mostrou potencial para enriquecer o cardápio. “Ela tem mais antioxidantes do que a soja comum e apresenta praticamente o dobro de proteína do feijão”, observa Zito.

Nutrição

Publicidade