Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Jambu deve virar tempero

Valorizada especialmente no Pará, essa planta pode se tornar, em breve, tempero conhecido em todo o país

Por Thaís Manarini
Atualizado em 3 nov 2019, 11h30 - Publicado em 3 nov 2019, 10h30

Tradicional na mesa da Região Norte, o jambu, verdura nativa do Brasil, foi transformado em um extrato de alta qualidade pelo farmacêutico Rodney Ferreira Rodrigues, professor do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas da Universidade Estadual de Campinas (SP).

No processo, ele preservou uma substância chamada espilantol, reconhecida por seu poder antioxidante, anti-inflamatório e anestésico — não à toa, quem consome a folha sente uma leve dormência na boca. Essa última propriedade chama muito a atenção dos pesquisadores, principalmente na área da odontologia.

Mas, agora, uma startup chamada Especiarias da Amazônia deseja ampliar o leque de possibilidades para a utilização do jambu. Uma das expectativas é transformar aquilo que sobra da produção do extrato (ou a planta moída mesmo) em um tempero, que ficaria similar ao orégano.

“Nesse formato, ele poderia chegar a todas as regiões mais facilmente”, acredita Rodrigues. Segundo ele, há planos de incluir a planta na alimentação de outros jeitos inovadores. “A aplicação do jambu vai longe”, prevê.

Alguns pratos em que o jambu brilha ao natural

Pato no tucupi: o tucupi é um caldo feito de mandioca-brava. O jambu cozido vai nele — assim como o pato.

Arroz paraense: além de arroz, é claro, o prato tem como ingredientes tucupi, camarão e… jambu.

Tacacá: esta receita tem goma de mandioca, tucupi, folhas de jambu e camarões secos. Costuma ser servida na cuia.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.