saudeLOGO Created with Sketch.

Passear com gatos: sim ou não?

O hábito tem tudo para fazer bem ao pet. Mas, antes de colocar a coleira nele, é preciso ponderar algumas coisas

Os cachorros deixaram de ser os donos da rua. Agora está cada vez mais comum ver gatinhos dando uma volta por aí – de coleira e tudo. E o hábito pode ser saudável, especialmente se o animal é preguiçoso, dorminhoco e não costuma tomar um sol.

“Mas não são todos os gatos que se beneficiam do passeio”, avisa a veterinária Cristiane Pizzutto, presidente da Comissão Técnica de Bem-Estar Animal do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo.

Para descobrir se o pet curte andar na rua, tem que testar. “Comece de forma muito paciente e gradativa”, sugere Cristiane. “Ao sinal de qualquer situação de aversão ou pânico, o tutor deve voltar para casa imediatamente”, frisa. Caso contrário, o bem-estar do gato sai prejudicado. E, se ele for mais ativo, atenção extra: a tendência é que queira explorar o ambiente.

O que ajuda a tornar o passeio mais tranquilo

Acostume-o à guia: A melhor é aquela que envolve o peitoral do bicho. Ao vesti-la, ofereça petiscos para que o gato associe o acessório a momentos de prazer.

Recorra à caixa de transporte: Se quiser passear em lugares mais distantes, leve o animal na caixa – já usando o peitoral.

Escolha bem o local: Dê preferência a espaços tranquilos e com pouco movimento, a exemplo de parques.

No início, dê voltas curtas: Ao notar que o animal gosta dos passeios, você pode aumentar o tempo das saídas gradativamente.