Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês

Dia Mundial da Saúde: não há saúde sem sono adequado

O tempo reservado para dormir é cada vez menor. Saiba como isso aumenta o risco de várias doenças - e pode até fazer você engordar

Por Theo Ruprecht, André Biernath - Atualizado em 7 abr 2017, 15h34 - Publicado em 7 abr 2017, 15h07

“Cama é pra dormir. Não é pra conversar, ver televisão, ler jornal, mexer no smartphone ou no computador”. Em homenagem ao Dia Mundial da Saúde, o professor de fisiologia José Cipolla-Neto, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, revela como as mudanças na sociedade moderna impactaram a hora do descanso noturno e estão relacionadas a uma série de doenças.

Entre os problemas deflagrados pela falta de sono, podemos falar da obesidade. Já há provas de que a privação das horas dormidas torna a pessoa mais propensa a abusar na alimentação. Além disso, seu organismo tende a estocar mais gordura do que normalmente. Como contra-atacar isso? Vá dormir mais cedo, não fique usando o celular na cama… Essas e outras dicas também são contempladas no bate-papo com Cipolla-Neto.

A entrevista faz parte de uma série de vídeo que divulgamos ao longo da semana nas nossas redes sociais por causa do Dia Mundial da Saúde. Abaixo, você pode acessar conversas que tivemos com especialistas do ICB sobre dor crônica e a importância do exercício físico. E, nos próximos dias, vem mais vídeo por aí. Fique de olho!

Publicidade