Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Teste genético guia tratamento de problemas psiquiátricos

Exame ajuda a eleger o remédio ideal para quem convive com um transtorno de ansiedade ou depressão, entre outros

Por Diogo Sponchiato - Atualizado em 19 jun 2020, 14h56 - Publicado em 26 jun 2020, 08h56

Calcula-se que pelo menos três em cada dez pessoas com uma condição como depressão e ansiedade não respondem direito aos medicamentos prescritos. E a razão para o sucesso ou não do tratamento pode estar no DNA.

“A variabilidade genética interfere tanto em como absorvemos e metabolizamos as drogas no organismo como na atuação delas no sistema nervoso”, explica o psiquiatra Michel Haddad, consultor do Centro de Genomas, em São Paulo. Daí a tendência, em expansão no Brasil, de recorrer a testes genéticos para identificar quem responde melhor ao quê e o risco de efeitos indesejados.

“É um instrumento a mais para, junto à avaliação clínica e psíquica e outros exames, auxiliar o médico na escolha do tratamento”, diz Haddad.

Ilustrações: Laura Luduvig/SAÚDE é Vital
Publicidade