Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Um curativo inusitado para queimaduras

Cientistas desenvolvem produto barato (e curioso) contra lesões cutâneas

Por André Biernath Atualizado em 1 ago 2018, 11h02 - Publicado em 20 ago 2016, 09h00

Gelatina, babosa, fibra da carapaça de crustáceos e baba de caracol. Esses quatro ingredientes peculiares são a base de uma nova receita para sarar queimaduras e ferimentos de pele que é estudada na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo, em Pirassununga, e no Centro de Pesquisa em Alimentos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Nos testes iniciais, a membrana se mostrou leve, flexível e de fácil adesão à área machucada. “O preço final também deve ser menor em relação às opções que já existem no mercado”, conta o engenheiro de alimentos Daniel López Angulo, responsável pela invenção. As próximas etapas envolvem avaliar o mais recente candidato a curativo em culturas de células e cobaias no laboratório.

Outra saída está no peixe

Médicos do Hospital São Marcos, em Recife, apostam no uso do couro de tilápia contra queimaduras. Em ratos, o material promoveu a cicatrização da pele com a mesma rapidez das pomadas. E reduziu dores e o risco de infecção.

Ideia animal… e vegetal

O que fazem os quatro itens que compõem a nova fórmula

Gelatina
Rica em colágeno, é a base do curativo. Vem do corpo de suínos.

Continua após a publicidade

Quitosana
Fibra encontrada no camarão e na lagosta, mantém a estrutura firme.

Caracol e Aloe vera
O muco de escargot e a babosa ajudam a regenerar a pele lesada.


Soluções caseiras funcionam?

Nem todas são indicadas depois de uma queimadura

Compressas geladas
É a primeira coisa a ser feita após o acidente. Em casos graves, vá ao pronto-socorro.

Pomadas com ervas
Há muitas receitas na internet. Mas só passe algo do gênero se o especialista liberar mesmo.

Membrana de chá-verde
Estudos apontam que ela acelera até três vezes a recuperação de feridas.

Manteiga e pasta de dente
Devem ser evitadas a todo custo. Além de não ajudarem em nada, podem piorar a situação.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês