Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quantas vezes devemos fazer xixi ao longo do dia?

Embora não exista um número fixo para todos, idas muito frequentes ao banheiro para urinar podem sinalizar problemas de saúde

Por Priscila Carvalho, da Agência Einstein* 2 ago 2021, 12h13

Não é para ficar paranoico: fazer mais xixi em um dia e menos no outro é normal. Mas quando essa frequência aumenta muito e de forma constante, pode atrapalhar a qualidade de vida ou sinalizar certas questões.

Segundo Karin Anzolch, urologista do Departamento de Comunicação da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), o mais comum é a pessoa urinar de cinco a oito vezes por dia. “Se a regularidade é muito maior, o indivíduo pode estar ingerindo líquido demais”, afirma. Há também o risco de ele estar sofrendo um princípio de incontinência urinária, ou doenças como diabetes e hiperplasia da próstata.

O intervalo entre as micções também deve ser levado em consideração. Se uma pessoa ingere menos de dois litros de água por dia, mas vai ao banheiro a cada hora, é necessário procurar um especialista. “O paciente pode ter quadros como o de uma bexiga mais sensível”, destaca o urologista Fernando Leão, proctor em cirurgias da próstata com laser greenlight pela Boston Scientific (EUA).

A incontinência urinária

É uma das doenças mais comuns que aumenta o número de idas ao banheiro. Ela é marcada pela dificuldade ou incapacidade de segurar a urina. Sem tratamento, prejudica muito a qualidade de vida.

Ela é mais comum entre mulheres, que naturalmente possuem uma uretra curta. “A uretra feminina tem de três a seis centímetros. Já a do homem, cerca de 20 centímetros”, diz Karin. Com um canal menor, é mais difícil segurar a urina.

+ LEIA TAMBÉM: Por que faz mal segurar o xixi?

O parto, que pode alterar a musculatura pélvica, é outro fator de risco para a incontinência. Nos homens, ela é mais incidente após cirurgias de próstata. Quadros neurológicos, como esclerose múltipla, obesidade e bexiga hiperativa, também podem terminar em um maior número de micções por dia e perda involuntária do xixi.

Continua após a publicidade

Existem dois tipos de incontinência: a de esforço e a de urgência. A primeira acontece quando a pessoa tem a musculatura pélvica mais fragilizada e espirra, pula ou faz algum esforço físico. Já segunda é aquela em que o paciente tem uma vontade súbita, e não consegue contê-la antes de chegar ao banheiro.

A boa notícia é que há vários tratamentos para a incontinência urinária. “As taxas de sucesso são elevadas hoje em dia”, afirma a especialista.

Quando a pessoa faz pouco xixi

Isso pode ser sinal de que o indivíduo deve se hidratar mais. A retenção urinária também sugere disfunções renais ou na próstata. “Se a pessoa está urinando menos do que cinco vezes ao dia, é bom avaliar”, afirma Karin.

A cor da urina

O ideal é que o xixi esteja sempre claro, quase transparente. Um amarelo forte aponta para a desidratação ou problemas nos rins. Certos medicamentos também alteram essa coloração. Já se a urina estiver avermelhada, é bom investigar se alguma estrutura do sistema urinária não está lesionada. A ingestão de alimentos como beterraba também deixa o xixi com esse tom.

*Esse texto foi publicado originalmente na Agência Einstein.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade