Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

O que é bom para diminuir o torcicolo

Causado pela contração muscular, desconforto pode ser revertido com relaxante muscular e bolsas de água quente na cervical

Por Sílvia Lisboa
5 Maio 2024, 09h00

O torcicolo é uma condição bem comum: a maioria de nós teve ou terá uma contração muscular tão forte que dificulta os movimentos do pescoço. Até os bebês podem desenvolver torcicolo congênito logo após ao nascer – o que exige uma intervenção imediata com fisioterapia para restabelecer a mobilidade da região. Nessas horas, surge sempre a dúvida: afinal, o que é bom para o torcicolo?

Como ocorre os bebês, a condição em jovens e adultos também é desencadeada por uma reação do corpo a um trauma. Para proteger a cabeça e a região cervical (onde fica o pescoço), a musculatura fica rija.

Apesar de associados a acidentes ou pancadas fortes, os traumas também podem ser movimentos bruscos ou mau posicionamento da cabeça ao dormir. A rigidez na região pode causar também cefaleia associada e tremores na cabeça.

+Leia também: Quais são as piores dores do mundo?

Quais são as principais causas do torcicolo

As causas mais conhecidas do torcicolo são:

  • Movimentos bruscos ou “mau jeito”
  • Mau posicionamento da cabeça durante o sono
  • Mau posicionamento da cabeça ao ficar horas sentado ou deitado
  • Exercícios físicos feitos de forma errada
  • Traumatismos na região da cabeça e pescoço
  • Alterações da coluna, como hérnia de disco, escoliose ou nas vértebras do pescoço
  • Nervosismo e tensão

Tratamentos para o torcicolo

Para aliviar a dor, é preciso entrar com medicamentos: tanto analgésicos quanto relaxantes musculares ajudam a desfazer a contratura. Repouso, bolsa de água quente e massagem também auxiliam na redução do desconforto.

O colar cervical, que imobiliza o pescoço, também pode ajudar a diminuir a dor durante o tratamento. Ele segura a cabeça e evita que você sinta a rigidez.

Continua após a publicidade

Caso o torcicolo não melhore em dois a três dias, o ideal é procurar ajuda especializada. O ortopedista pode indicar tratamentos como fisioterapia ou outros tipos de exercícios que atuem na redução da dor e na prevenção de novos episódios dessa encrenca.

Controlar o estresse, melhorar a postura, ajustar a estação de trabalho e o tamanho do travesseiro são medidas que evitam maus jeitos.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.