Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Casos de herpes-zóster devem aumentar nos próximos anos

Experts alertam para a ascensão dessa doença causada pelo vírus da catapora

Por Vand Vieira - Atualizado em 7 Maio 2018, 11h00 - Publicado em 5 Maio 2017, 09h08

O vírus da catapora pode atormentar a gente mais de uma vez. É que o malfeitor consegue se reativar com o avançar da idade e causar um ataque doloroso, o herpes-zóster. E a projeção é que mais pessoas venham a sofrer com ele depois dos 60 anos, segundo análise publicada no periódico BMC Geriatrics. O índice de afetados pelo problema deve crescer de 2,35 a 3,74% por ano até 2030, como mostram cientistas que avaliaram dados da Austrália, do Japão e dos Estados Unidos.

“Com o aumento da expectativa de vida, essas e outras doenças relacionadas à queda da imunidade serão mais prevalentes”, raciocina Rosanna Nocito, dermatologista do Hospital São Luiz, em São Paulo. “Por isso, manter uma rotina de exercícios e uma dieta equilibrada são cuidados sem data para acabar”, defende.

A ascensão do herpes-zóster
Ilustração: Rodrigo Damati/SAÚDE é Vital

Antes nunca do que tarde

Apesar de ainda não estar disponível na rede pública, desde 2014 é possível encontrar a vacina contra o herpes-zóster em clínicas particulares do Brasil. “Ela custa em média 600 reais e é recomendada principalmente a quem já passou dos 50 anos. Uma dose é suficiente para que o organismo reaprenda a combater o vírus”, esclarece o médico Egon Daxbacher, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, no Rio de Janeiro.

Quer receber uma dose semanal de SAÚDE no seu e-mail? Então assine nossa newsletter — é grátis e fácil. Basta clicar aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade