Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada – saiba até quando vai

Ministério da Saúde anuncia que será possível tomar a vacina contra o vírus influenza até o dia 15 de junho por causa da greve dos caminhoneiros

Por Jonas Valente, da Agência Brasil
Atualizado em 18 ago 2020, 10h50 - Publicado em 30 Maio 2018, 09h57

O Ministério da Saúde anunciou a prorrogação da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe até o dia 15 de junho. A decisão foi motivada pelos efeitos da paralisação dos caminhoneiros no atendimento em saúde. Inicialmente, o fim da distribuição da vacina estava previsto para a próxima sexta-feira, dia 1° de junho.

De acordo com os últimos dados do governo, a campanha imunizou 35,6 milhões de pessoas, o que equivale a 66% do público-alvo. Com a prorrogação da campanha, a esperança é de vacinar os 18,8 milhões de brasileiros que ainda não receberam a dose do imunizante (chegando, assim, à meta de proteger 54,4 milhões de indivíduos).

No recorte por estados, os que mais se aproximaram do objetivo estabelecido foram Goiás (99,8%), seguido de Amapá (91%), Ceará (84%), Distrito Federal (78,5%) e Espírito Santo (77,4%). Por outro lado, os estados com menor cobertura da vacina são Roraima (32,5%), Rio de Janeiro (47,6%), Rondônia (51,3%), Amazonas (51,9%) e Acre (52%).

Quem deve tomar a vacina

O público-alvo da campanha inclui idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional. Portadores de doenas crônicas, como asma ou diabetes, também integram o grupo prioritário.

Caso sobrem vacinas após o dia 15 de junho, os municípios podem ampliar o público para crianças de 5 a 9 anos e adultos com idades entre 50 e 59 anos. O Ministério destaca, no entanto, a importância de os grupos de risco procurarem os postos de saúde caso ainda não tenha se vacinado. De acordo com o governo, 100% das 60 milhões de doses do imunizante já foram distribuídas aos estados.

Até o momento, o público com maior cobertura são as puérperas (78%), seguido por idosos (75%), professores (73%), trabalhadores da saúde (71,6%), indígenas (63,6%) e gestantes (55%). Já entre as crianças com idades entre 6 meses e 5 anos, o índice de vacinação está em pouco menos da metade (49,7%).

Continua após a publicidade

Mortes por gripe

De acordo com o último levantamento do Ministério da Saúde, foram registrados 2 088 casos de gripe em todo país e 335 pessoas morreram em decorrência da doença. O tipo mais grave de gripe foi o H1N1, com 218 óbitos e 1 262 ocorrências. Das pessoas que faleceram, 70% possuíam ao menos algum fator de risco (boa parte tinha mais de 60 anos e era cardiopata, pneumopata ou diabético). 

Esse texto foi publicado originalmente na Agência Brasil.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.