Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Antibiograma: o que é e para que serve esse exame

Teste feito a partir de secreções ou sangue ajuda a determinar o antibiótico mais indicado para lidar com uma infecção em andamento

Por Maurício Brum
3 jun 2024, 15h35

O tratamento com antibióticos é fundamental para vencer uma infecção bacteriana. Mas também é delicado: fazer esse processo de forma incorreta ou incompleta pode acarretar, por exemplo, no aparecimento de superbactérias que resistem aos fármacos comuns. É para reduzir as chances de erros que existe o antibiograma.

Esse exame busca determinar a sensibilidade das bactérias aos diferentes tipos de antibióticos tipicamente usados em tratamentos. O objetivo é garantir o melhor medicamento para lidar com a infecção que está afetando o paciente.

+Leia também: EUA aprovam novo antibiótico contra superbactéria

Quando o antibiograma é solicitado

O antibiograma só é solicitado quando há suspeita de uma infecção bacteriana. A ideia, então, é determinar que bactéria está provocando a doença, e quais antibióticos funcionam melhor para combatê-la.

Normalmente, esse exame é feito quando equipe médica não consegue determinar com certeza qual é o agente causador dos problemas do paciente só com base nos sintomas e em outros sinais avaliáveis clinicamente.

Continua após a publicidade

A solicitação do teste, no entanto, ainda é incomum. Em geral, os médicos acabam receitando os antibióticos mais utilizados cotidianamente quando há suspeita de um quadro causado por bactérias, já que isso costuma funcionar na maioria dos casos.

O antibiograma, porém, pode ajudar a prevenir complicações em infecções mais graves ou causadas por espécies menos corriqueiras, que podem não responder aos remédios mais usuais.

Como um antibiograma é feito

Na prática, o exame é feito a partir da coleta de uma amostra de secreção do paciente, que depois é submetida a uma cultura para determinar as bactérias envolvidas. O mais comum é que essa cultura seja feita a partir da urina ou sangue, mas ela também pode usar as fezes como base, ou mesmo outros fluídos do corpo, como saliva ou catarro, entre outros materiais.

Uma vez determinada com exatidão a bactéria causadora da doença, o médico define qual é o melhor antibiótico para aquele caso, assim como o período pelo qual ele deve ser usado.

Continua após a publicidade

Lembre-se: é fundamental seguir com o tratamento até o final do tempo indicado, mesmo que você melhore antes. Isso porque as bactérias podem seguir vivas no organismo mesmo sem causar sintomas, e um tratamento incompleto pode fazer com que o problema volte com mais força no futuro.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.