Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Acetilcisteína: o que é, para que serve e como funciona esse remédio

Mais conhecida pela forma em xarope, a acetilcisteína é um expectorante que alivia a tosse. Veja o uso infantil e adulto, reações adversas, benefícios

Por Fabiana Schiavon 23 jun 2022, 18h55

A acetilcisteína é um medicamento expectorante que serve para aliviar a tosse e secreções respiratórias provocadas por diferentes razões, como pneumonia e bronquite. É vendido como xarope pediátrico e adulto, e em forma de granulado (pó), ingerido como efervescente.

Esse remédio é comercializado por diversas empresas farmacêuticas e pode ser encontrado pelos nomes NAC, Fluimucil, Flucistein ou Cisteil. Sua forma genérica é vendida por acetilcisteína ou N-acetilcisteína.

O que a acetilcisteína faz e para que serve?

A acetilcisteína ou N-acetilcisteína age como expectorante. Ou seja, diminui a viscosidade da secreção pulmonar e facilita a sua remoção pela tosse. Ele não é um antibiótico.

“Este é um medicamento indicado quando se tem dificuldade para expectorar e há muita secreção densa e viscosa”, pontua a farmacêutica Letícia Nogueira Leite, do Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim/CFF).

Essa tosse pode ser provocada por:

O remédio também é indicado como antídoto na intoxicação por paracetamol. “Nesse caso, a acetilcisteína inativa a molécula utilizada para a metabolização desse medicamento, que é muita tóxica para o fígado”, completa Letícia.

Compartilhe essa matéria via:

O medicamento é encontrado nas farmácias na forma de xarope e efervescente, mas em ambiente hospitalar o tratamento pode ser via injetável ou por nebulização, segundo o médico pneumologista e cirurgião Marcelo Basso Gazzana, do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

A ampola utilizada para nebulização pode até ser levada para casa, mas é prudente que as primeiras aplicações ocorram no hospital pelo risco de broncoespasmo. “É uma espécie de crise de asma”, explica Gazzana. “Já a versão injetável intravenosa serve para tratar aquela intoxicação por paracetamol”, esclarece o médico do Hospital Moinhos de Vento.

+Leia também: Fluoxetina: o que é, para que serve e como funciona esse antidepressivo

Como tomar acetilcisteína?

O xarope pediátrico é indicado para crianças com mais de 2 anos. A orientação deve, claro, vir do pediatra, porém a bula indica uma dose de 5 mililitros (ml), de duas a três vezes por dia. Crianças maiores podem precisar de mais doses.

Já o xarope para adultos tem indicação de 15 ml, uma vez por dia, preferencialmente à noite. Isso também pode mudar dependendo da gravidade da doença.

A forma em pó ou granulada é vendida em sachês com gramagens diferentes. O envelope de 200 miligramas (mg) pode ter indicação para ser utilizado de duas a três vezes por dia. Já o de 600 mg, apenas uma dose, de preferência à noite.

Continua após a publicidade

Pode ser utilizado por idosos e gestantes?

Não há estudos conclusivos sobre esse medicamento em mulheres grávidas. Ele só deve ser usado se o médico entender que os benefícios são maiores que os riscos.

Os idosos também seguem as doses indicadas para adultos, mas sempre sob prescrição médica.

Quanto tempo dura o tratamento?

Como de costume, isso deve ser avaliado pelo médico. Em geral, o remédio age na fase aguda da infecção respiratória ou das exacerbações de doenças.

“A indicação costuma variar de sete a dez dias. Mas pacientes com secreção crônica podem usar por mais tempo, embora a eficácia da acetilcisteína seja modesta em casos mais graves de doença pulmonar recorrente”, pontua Gazzana.

Nessas situações, o médico tende a optar por outros tipos de medicamento, como broncodilatadores de longa ação, corticoides inalatórios, entre outros.

+ Leia também: Ibuprofeno: o que é, para que serve e quais as indicações de uso

Quais os riscos de tomar acetilcisteína sem prescrição?

A automedicação é comum com ela, até por ser de baixo custo e vendida sem receita. “Ao aliviar um sintoma, há o risco de mascarar doenças mais graves, como a pneumonia”, alerta Gazzana.

O médico defende que a acetilcisteína não deve ser utilizada para aliviar sintomas alérgicos e respiratórios em casa, sem orientação de um profissional. Até porque existem diferentes opções para conter essas manifestações.

Quais são os principais efeitos colaterais da acetilcisteína?

Os mais comuns são os gastrointestinais, como náusea, vômito e diarreia. Sintomas dermatológicos podem ocorrer, a exemplo de erupção na pele ou urticária.

“Os comprimidos efervescentes contêm sal, o que pode ser prejudicial para pacientes com insuficiência renal, cirrose e doença cardíaca. Já a forma injetável para uso intravenoso raramnte provoca choque anafilático [uma reação alérgica grave]”, pontua Gazzana.

Esse medicamento é utilizado no tratamento da Covid?

Houve tentativas de utilizar a acetilcisteína no tratamento de pacientes graves da Covid-19, mas sem sucesso.

“O medicamento tem um potencial mecânico lógico e pareceu ter efeito em estudos observacionais. Mas pesquisas randomizadas, controladas e duplo cego não mostraram benefícios. A acetilcisteína não é um tratamento preconizado para a Covid-19”, afirma Gazzana.

Aliás, essa medicação já foi testada contra diferentes doenças, mas até agora sem sucesso para além das indicações já previstas em bula, segundo o pneumologista Rodolfo Bacelar Athayde, do Complexo Hospitalar Dr. Clementino Fraga, de João Pessoa.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)