Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Apneia do sono em crianças: o que é e como identificar

Entre os principais sintomas estão roncos, alterações de humor, mau desempenho escolar e noites agitadas. Sem cuidados, sono é prejudicado

Por Fernanda Bassette, da Agência Einstein* 22 jun 2022, 17h08

Se o seu filho ronca e tem o sono agitado, dificuldade de concentração, mau desempenho escolar, alterações de humor, atenção: ele pode estar com apneia obstrutiva do sono, um distúrbio muito mais prevalente em adultos, mas que ainda assim pode acometer crianças. Sem diagnóstico e tratamento adequado, ela é capaz de causar problemas de saúde, como pressão alta, doenças cardiovasculares e déficits no crescimento.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), estima-se que cerca de 10% das crianças roncam. Dessas, de 1% a 3% têm apneia e um sono de baixa qualidade. Em adultos, esse número ultrapassa os 30%.

Mas o que é a apneia obstrutiva do sono? “São pausas respiratórias recorrentes que ocorrem enquanto a pessoa dorme, bloqueando a passagem do ar para os pulmões. A pessoa para de respirar um pouquinho e volta. Para e volta”, explica Leonardo Goulart, neurologista especialista em medicina do sono do Hospital Israelita Albert Einstein.

Goulart explica que a interrupção recorrente da respiração durante o sono traz diferentes consequências: a oscilação da oxigenação do sangue, por exemplo, coloca o cérebro em alerta. Nesse estado, o cérebro provoca micro despertares, que comprometem a qualidade do sono.

Compartilhe essa matéria via:

Com isso, há uma possível redução da produção do hormônio do crescimento – o que afetaria o crescimento adequado da criança. “Há muitos estudos sobre isso em adolescentes. Ao tratar a apneia, os níveis voltam ao normal”, afirma Goulart.

Outra consequência é que um sono fragmentado abala o dia seguinte. Alterações de comportamento, irritabilidade e déficit de aprendizado são comuns.

No mais, a apneia do sono afeta o metabolismo. “Isso é menos estudado em crianças, mas pode haver disfunção de hormônios que regulam a fome e o armazenamento de gordura. Isso pode levar a obesidade e outras alterações”, alerta o médico.

O diagnóstico

A SBPT listou sinais para que os pais observarem nos filhos:

  • Ronco, que pode ou não ser alto, mas que ocorre todas as noites
  • Respiração barulhenta, que piora quando a criança está deitada de costas
  • Dificuldade de respirar pelo nariz
  • Dormir de boca aberta (pode ocorrer de ficar de boca aberta durante o dia)
  • Agitação durante a noite, com mudanças na posição de dormir
  • Urinar na cama, principalmente se a criança já tinha prévio controle.

“Sempre que o sono da criança for agitado e com barulho, ela precisa ser avaliada por um profissional. Nenhum ronco é normal”, reitera a otorrinolaringologista Sandra Dória, especialista em medicina do sono e pesquisadora do Instituto do Sono. “Todo barulho, se for recorrente e ocorrer de três a quatro vezes por semana, deve servir de sinal de alerta”, completa.

Continua após a publicidade

O diagnóstico da apneia é geralmente feito no consultório, mas em alguns casos específicos ele é corroborado pela polissonografia, um exame que avalia a qualidade do sono.

+Leia também: 12 consequências da apneia do sono

Como tratar a apneia do sono

Em um primeiro momento, se a criança estiver com obesidade, perder peso ajuda a controlar o problema. Mudar a posição de dormir também (coloque o filho para dormir de lado, e não de costas para baixo).

Se essas ações não funcionarem, há a possibilidade de cirurgia de remoção das amígdalas e da adenoide ou o CPAP, um equipamento que empurra o ar para os pulmões por meio de uma máscara ajustada no nariz durante a noite, evitando que ocorram as pausas de respiração no sono.

“Na criança, o desenvolvimento facial e o crescimento por si só podem ajudar a diminuir a apneia. Então, o uso do CPAP costuma ser por pouco tempo, ao contrário do adultos”, ressalta Goulart.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

Gibi com foco especial para crianças

Para ajudar os pais e as crianças a identificarem o problema, o Instituto do Sono, com apoio da AFIP (Associação Fundo de Assistência à Pesquisa), lançou uma edição no gibi Dona Ciência dedicado ao assunto. A revista fornece material de divulgação científica com linguagem simplificada de forma lúdica, com foco especial nas crianças.

“No Dona Ciência falamos de vários temas da atualidade: vacina de Covid-19, higiene bucal, amamentação. E também da importância do sono, que ocupa um terço das nossas vidas”, afirma Monica Levy Andersen, diretora de Ensino e Pesquisa do Instituto do Sono e idealizadora da coleção.

*Este conteúdo é da Agência Einstein

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)