Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Foco na Criança

Caminhos para uma infância mais saudável e com o melhor suporte médico são o mote dos artigos do pediatra Felipe Monti Lora, CEO do Sabará Hospital Infantil
Continua após publicidade

Os perigos do tabagismo na adolescência

Doenças respiratórias e outros problemas podem aumentar de incidência com o consumo de cigarros eletrônicos

Por Felipe Monti Lora
Atualizado em 29 ago 2023, 18h11 - Publicado em 29 ago 2023, 18h09

Em 29 de agosto é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo, como forma de chamar a atenção para os prejuízos do tabagismo. E esse é também um assunto dos pediatras.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 38 milhões de crianças, de 13 a 15 anos, consomem tabaco. Mas existe um outro grande vilão que já faz parte da vida de muitos adolescentes e que já está preocupando os especialistas.

Um crescente números de jovens tem feito uso dos e-cigarros, também conhecidos como vape ou cigarro eletrônico.

+ Leia também: Cigarros eletrônicos são um perigo para a saúde bucal

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatra (SBP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), o uso do dispositivo em qualquer faixa etária traz graves prejuízos para a saúde individual e coletiva.

O cigarro eletrônico traz em sua composição altos índices de nicotina e de outras substâncias nocivas que podem gerar doenças cardiovasculares e pulmonares, dependência química e, em casos mais graves, levar à morte.

Continua após a publicidade

A Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) emitiu alertas sobre como o hábito de usar esses produtos desencadeia sintomas agudos, como tosse, falta de ar, dor no peito, náusea, vômito, diarreia; febre e calafrio podendo evoluir para um quadro de pneumonia.

+ Leia também: Sem medidas de controle, mundo teria 300 milhões de fumantes a mais

O cigarro eletrônico contém uma solução líquida que é vaporizada, para depois ser inalada. Além da nicotina e de outros compostos químicos, pode conter extratos de ervas ou outros tipos de saborizantes, que incentivam o uso entre os jovens.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) realizada em 2019, sobre a saúde de adolescentes de 13 a 17 anos de idade matriculados nas redes pública e privada, 22,6% dos estudantes nessa faixa etária já experimentaram cigarro pelo menos uma vez; 26,9% usaram o narguilé e 16,8% o cigarro eletrônico.

O material ainda mostra que adolescentes que fumam narguilé ou cigarro eletrônico têm quatro vezes mais chances de consumirem cigarro de tabaco no futuro.

Continua após a publicidade

O tabagismo é considerado um dos maiores problemas de saúde pública, tamanho o impacto que o uso traz à saúde e à economia da sociedade.

Por esse motivo, o acompanhamento e orientação vinda dos pais e das escolas são fundamentais para que os adolescentes não façam de algo que eles compreendem como “diversão”, um vício.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.