Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Será que você está tomando água do jeito que o corpo precisa?

A água tem diversas funções no organismo, por isso é crucial ficar atento aos mínimos sinais de desidratação – alguns podem passar batido

Por Luciana Neves, nutricionista*
8 jan 2023, 09h24

O Guia de Alimentação para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, explica que o balanço diário de água é controlado por sofisticados sensores localizados no cérebro e em diferentes partes do corpo.

Esses detectores nos fazem sentir sede e sinalizam a necessidade de consumo de líquidos sempre que a ingestão não é suficiente para repor a água que utilizamos ou eliminamos diariamente.

Estar atento aos sinais iniciais de desidratação e satisfazer imediatamente a necessidade de água é mais do que importante: é vital.

A água é fonte de hidratação e veículo de transporte de elementos imprescindíveis pelo sangue, como sais minerais, outros nutrientes e oxigênio. Ela ajuda na distribuição deles para as células de todo o corpo, além de auxiliar na regularização da temperatura corporal, no funcionamento dos órgãos e na eliminação de toxinas por meio do suor e da urina.

+ Leia também: A ciência da hidratação

Apesar de os seres humanos conseguirem sobreviver por algumas semanas sem comida, é impossível viver sem água por alguns dias. Afinal, ela representa a maior parte do peso corporal, podendo variar de 50 a 75% desse total – o percentual está intimamente ligado à idade e ao sexo dos indivíduos.

Nos dias quentes a atenção deve ser redobrada, já que o organismo tende a encarar um aumento de temperatura em pouco tempo – e é justamente por meio da hidratação que o corpo procura regular essa elevação do calor.

O que conta como água?

A preferência é sempre consumir a água pura e as chamadas saborizadas ou aromatizadas. As receitas para esses preparos incluem canela, gengibre, manjericão, tomilho, cravo, limão, hortelã e alecrim. Vale destacar que esses três últimos ingredientes são ótimos recursos naturais para a limpeza e preservação da pele, digestão e atividade renal.

bebidas doces (como refrigerantes, suco industrializados, entre outros) trazem quantidades elevadas de conservantes e açúcares artificiais que, em excesso, podem inibir a absorção de outros nutrientes, além de propiciar diversos malefícios. Ou seja, não é porque são líquidos saborosos que vão atuar na hidratação – muito pelo contrário.

Continua após a publicidade

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

É recomendável a ingestão de água, inclusive, até para quem está sem sede, porque esse sinal já representa um indício que o organismo está no limite e de que as coisas não vão bem.

Outros sintomas, como boca seca e urina amarela e com odor forte, também podem ser indicativos de que há desidratação no organismo e uma necessidade de reposição em quantidades maiores. Nessas situações, o soro caseiro ou a água de coco também são alternativas.

Mas e quanto beber? Bem, isso é relativo. Não recomendo que se beba dois ou três litros de água, mas sim que a ingestão seja um movimento natural das pessoas – e não apenas nos períodos quentes. Beber água precisa ser um hábito diário e nas diferentes fases da vida, da infância à maturidade.

Continua após a publicidade

*Luciana Neves é coordenadora da área de nutrição dos hospitais Samaritano Barra e Vitória, do complexo Americas Medical City, no Rio de Janeiro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.