Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Os 5 “D”s da endometriose

No Março Amarelo, o mês de conscientização da endometriose, um especialista aborda os principais sintomas e complicações dessa doença

Por Carlos Alberto Ortiz Teixeira, ginecologista do Hospital e Maternidade Santa Joana e Hospital e Maternidade Pro Matre Paulista
1 mar 2024, 08h59

A endometriose é uma doença feminina, benigna e crônica que se caracteriza por células do endométrio – a camada que reveste a cavidade uterina – localizadas fora do útero. Geralmente, elas se desenvolvem na pelve e podem comprometer ovários, tubas (trompas), intestino, diafragma e até a parede abdominal.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Endometriose, a patologia acomete de 12% a 15% das mulheres no mundo que menstruam (menacme). Além disso, o diagnóstico correto pode levar de 8 a 12 anos, comprometendo e muito a qualidade de vida.

A causa da endometriose não é totalmente esclarecida, mas acredita-se que a origem pode se dar pela menstruação retrógrada – a que vem das tubas para a cavidade uterina –, associada a alterações imunológicas.

Entre os sintomas mais comuns da endometriose estão os 5 Ds:

  • Dismenorreia (dor menstrual)
  • Dor pélvica
  • Dispareunina (dor nas relações sexuais)
  • Dificuldade para engravidar (infertilidade)
  • Disquezia (dor para evacuar)

Isso além de sintomas urinários – e tudo isso pode vir junto, aliás.

+Leia também: 29 milhões de mulheres estão na menopausa: precisamos falar mais sobre ela

A dismenorreia é o termo usado para as dores menstruais muito comuns na endometriose, de caráter incapacitante. A dor pélvica pode ser tipo cólica ou pontadas que iniciam na menstruação e que pioram com o passar do tempo, podendo ocorrer mesmo fora do período menstrual.

Já a dispareunia é a dor na relação sexual, que também pode piorar com o tempo, caso a endometriose não seja identificada e tratada.

E a dificuldade para engravidar? Ela ocorre devido ao quadro inflamatório da patologia, que pode inibir a ovulação e até dificultar a fecundação.

Por fim, a disquezia é a dor para evacuar, principalmente durante o período menstrual, e que também pode vir acompanhado de sangramento anal.

O diagnóstico é realizado pelo histórico da pessoa e por exames clínicos, como o de toque vaginal ou retal. Além disso, os exames de imagem são muito importantes para elucidação da endometriose, tais como a ressonância magnética de pelve, a ultrassonografia pélvica transvaginal com preparo intestinal e colonoscopia.

Continua após a publicidade

Quanto ao tratamento, pode ser clínico ou cirúrgico. Tudo depende dos sintomas e lesões encontrados no exame clínico e de imagens. Do lado das cirurgias, há o advento dos procedimentos minimamente invasivos, como a videolaparoscopia e a plataforma robótica, que apresentam excelentes resultados.

Vale ressaltar, ainda, que dieta saudável, atividade física, fisioterapia perineal e acupuntura podem colaborar com o tratamento e melhorar a qualidade de vida.

*Carlos Alberto Ortiz Teixeira, ginecologista especializado em cirurgia robótica do Hospital e Maternidade Santa Joana e Hospital e Maternidade Pro Matre Paulista

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.