Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Homens também têm varizes

Especialista conta as peculiaridades do problema na ala masculina e o que pode ser feito para preveni-lo e tratá-lo

Por Dr. Roberto Sacilotto, cirurgião vascular*
Atualizado em 29 ago 2019, 15h03 - Publicado em 14 abr 2019, 13h24

As varizes, que afetam ao redor de 37,5% da população brasileira, são veias dilatadas, alongadas e tortuosas que surgem nos membros inferiores. São consequência do enfraquecimento das paredes desses vasos sanguíneos e de alterações nas válvulas existentes no interior deles. Apesar de mais comum entre as mulheres, a doença acomete cerca de 30% dos homens, que costumam negligenciar o assunto.

As varizes podem causar sintomas como dores, sensação de peso ou cansaço nas pernas, acompanhados ou não de inchaço. O fator familiar é o mais importante para o seu aparecimento — há um caráter genético ainda não bem estabelecido. Com o avanço da idade e o afrouxamento dos tecidos, as varizes tendem a ser mais visíveis mesmo com a presença dos pelos nas pernas. É só nesse momento que o homem, em geral, percebe que tem o problema.

A profissão é um fator agravante para varizes. Ocupações como dentista, cabeleireiro ou outras que exigem que a pessoa permaneça em pé por várias horas do dia levam à dilatação das veias e ao aparecimento e à piora dos sintomas.

A principal complicação das varizes é a flebite, quadro que envolve a formação de trombos dentro das veias dilatadas, sangramento e, em uma fase mais tardia, o surgimento de feridas. Por isso é importante fazer o diagnóstico logo cedo e seguir para o tratamento.

Continua após a publicidade

A condição é diagnosticada por um médico — os especialistas que lidam com as varizes são o angiologista e o cirurgião vascular — por meio de um exame físico e, se necessário, a realização de um ultrassom doppler dos membros inferiores, método que permite avaliar melhor a situação e já fazer um planejamento cirúrgico.

Quanto ao tratamento, como na maioria das vezes as veias são de grosso calibre, a cirurgia convencional é a mais indicada, podendo ser usado o laser ou a radiofrequência nos casos em que a veia safena (na perna) está insuficiente e dilatada com refluxo. Em pacientes que apresentam alguma contraindicação à cirurgia ou naqueles que possuem ulcerações (feridas) e pigmentações (alteração de cor na região), podemos recorrer ao tratamento com espuma densa, que é feito no consultório e não exige anestesia e internação hospitalar.

Continua após a publicidade

Mas saiba desde já que existem medidas para prevenir o problema. Evite ficar em pé, parado ou sentado por muito tempo. Movimentar as pernas e os pés e realizar caminhadas já ajudam a estimular a circulação, diminuindo o risco da doença e dos incômodos que ela traz ao dia a dia. Manter o peso é outro conselho muito importante para evitar o aparecimento ou o agravamento das varizes.

Pensando nos homens que, devido à sua atividade profissional, precisam permanecer em pé por longos períodos, as meias elásticas podem melhorar os sintomas e evitar complicações.

* Dr. Roberto Sacilotto é médico e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.