Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Combate à obesidade passa pela qualidade da alimentação

O prato tem tudo a ver com a origem e o tratamento dessa doença em ascensão, e essa relação é destrinchada em novo livro

Por Dilina do Nascimento Marreiro e Silvia Maria Franciscato Cozzolino, nutricionistas*
Atualizado em 15 ago 2023, 10h03 - Publicado em 13 ago 2023, 12h51

A obesidade contribui para a manifestação de outras comorbidades com importante impacto na saúde pública, como o diabetes, a hipertensão arterial sistêmica e as dislipidemias.

Todas são consideradas fatores de risco relevantes para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCVs).

Dados da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) apontam as DCVs como a principal causa de óbitos no país (30% do total de mortes), o que corresponde a 400 mil por ano.

Prevenir e tratar adequadamente a obesidade é fundamental para reduzir essa estatística.

+ Leia também: Vegetal como prato principal

A alimentação inadequada é uma das causas mais destacadas da doença, com ênfase no consumo excessivo de alimentos com alta densidade calórica, fontes de gorduras saturadas e carboidratos refinados, bem como o uso frequente de bebidas alcoólicas.

Associado a isso, o estilo de vida sedentário e a predisposição também são considerados fatores importantes.

De acordo com o Atlas Mundial da Obesidade 2023, ocorrerá um crescimento exponencial de pessoas acima do peso no mundo nos próximos anos.

Segundo as projeções, no Brasil, 41% dos adultos conviverão com a doença em 2035. Atualmente, essa taxa é de 22,4%.

Continua após a publicidade
saude-alimentacao-obesidade-jovens
Tanto o sobrepeso quanto a obesidade se referem ao acúmulo excessivo de gordura corporal (Foto: AllGo/Unsplash/Divulgação)

Novo livro

A atuação dos profissionais de nutrição e de áreas afins é fundamental para mitigar esse quadro epidemiológico.

O repasse de informações científicas por tais profissionais, no sentido de contribuir para educação alimentar saudável, certamente constituirá uma estratégia importante no combate dessa epidemia.

O livro Obesidade e Nutrição (Manole, 2023)** reúne textos e estudos de 19 nutricionistas que abordam a epidemiologia da obesidade, discutindo sua prevalência e distribuição global, bem como suas implicações socioeconômicas e de saúde pública.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Semaglutida reduz em 20% risco de eventos cardiovasculares graves

A obra parte da compreensão desta condição: quais os mecanismos/processos do organismo que mantêm o indivíduo acima do peso ideal? Como a biologia e a genética influenciam nisso? Por que, em alguns casos, é tão difícil perder peso?

Discussões essenciais, por exemplo, de como a obesidade e a resistência à insulina estão relacionadas e o papel da microbiota intestinal estão no livro.

O tipo de alimentação influencia diretamente a colonização das bactérias no órgão. Dessa forma, o que se come poderá favorecer ou não a perpetuação de determinados tipos de colônias que habitam o intestino: as bactérias do tipo firmicutes contribuem para o ganho de peso enquanto as bacteroidetes vão no caminho oposto.

Continua após a publicidade

A relação gasto energético-comida também é essencial. A prática de exercícios físicos regulares é necessária para reverter o excesso de peso.

+ Leia também: O que explica o aumento da obesidade entre jovens no Brasil?

A ação das vitaminas e de elementos como zinco, magnésio, selênio e cobre em nosso organismo são importantes, assim como a compreensão acerca da relevância de práticas alimentares mais saudáveis, que prestigiem todos os grupos alimentares.

Temos as ferramentas para viver mais e melhor, basta colocá-las em prática e em todos os dias, e não somente em alguns períodos da vida.

Continua após a publicidade

*Dilina do Nascimento Marreiro é professora titular da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Silvia Maria Franciscato Cozzolino é livre-docente e professora titular da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP). Ambas são nutricionistas e organizadoras do livro Obesidade e Nutrição, da Manole

**A venda por meio desse link pode render remuneração à Abril

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.