Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Boa Pergunta

Por Blog
Dúvidas sobre saúde enviadas pelos leitores e leitoras são respondidas com o apoio de profissionais da área.
Continua após publicidade

Falta de ar em jovens: quais são as causas mais comuns?

É importante não ignorar esse sintoma, associado a doenças físicas e emocionais

Por Vand Vieira
Atualizado em 18 jun 2017, 13h32 - Publicado em 18 jun 2017, 13h32

Há três anos, o leitor Jean Duarte acordou sentindo falta de ar. Na época, ele tinha 15 anos e acabou não procurando um médico por achar que o incômodo logo passaria — além da pouca idade, nunca havia fumado. Desde então, o problema só ganhou fôlego: Jean parou de estudar por causa dessas crises e tem receio de não conseguir trabalhar porque o cansaço e a vontade de desmaiar dão as caras ao menor sinal de esforço. Então resolveu escrever pra gente pedindo uma resposta para a pergunta do título.

Para a pneumologista e clínica geral Andrea Sette, do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo, evitar o tabagismo é, sim, importante para preservar os pulmões. No entanto, diversas doenças interferem no sistema respiratório.

Asma e bronquite, por exemplo, geram falta de ar crônica. Ter acompanhamento profissional é fundamental para fazer o diagnóstico e definir o tratamento que vai garantir a qualidade de vida”, diz Andrea. “Se não tratadas, essas e outras doenças respiratórias podem resultar em complicações graves e até fatais”, ressalta.

Insuficiência cardíaca e outros problemas cardiovasculares também podem estar por trás da falta de ar, uma vez que o sangue, bombeado pelo coração, é responsável por transportar o oxigênio que o corpo precisa. De novo: uma investigação aprofundada e individualizada é necessária para identificar a questão de base.

Continua após a publicidade

Quando todas as causas físicas são descartadas, a análise parte para o terreno psicológico. Sim, picos de ansiedade e estresse podem descompassar a respiração. “Terapia e medicamentos estão disponíveis para esses casos e são administrados de acordo com a gravidade do quadro em questão”, arremata Andrea.

O recado final para Jean Duarte e todos os outros leitores é: não menospreze a falta de ar. Nem qualquer outro sintoma que surge sem uma explicação aparente.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.