Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Alimente-se

Comer é muito mais do que ingerir nutrientes. Na receita de uma alimentação equilibrada, também há ingredientes comportamentais, emocionais, culturais e ambientais, como mostra a nutricionista Lara Natacci
Continua após publicidade

Nossa cesta básica em reformulação

Mudanças propostas na cesta básica do Brasil valorizam alimentos in natura - e servem de orientação para a nossa população

Por Lara Natacci
18 mar 2024, 10h34

O governo federal publicou um decreto com orientações sobre a nova cesta básica. A inclusão e exclusão de alimentos nela é importante para questões de saúde pública, inclusive a desoneração de tributos. Mas a cesta básica também funciona como um guia que aborda a quantidade e a combinação adequada de alimentos para compor um padrão alimentar minimamente adequado para a população.

Essa reformulação leva em consideração vários aspectos, como a inclusão de alimentos de origem natural em função dos benefícios que os nutrientes contidos neles trazem.

Vale lembrar que existe uma recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que o consumo de frutas, legumes e verduras deve ser de, no mínimo, 400 gramas por dia. E o consumo médio no Brasil, infelizmente, é de menos da metade dessa quantidade.

+Leia também: Por uma política que acabe com a fome e garanta alimentação mais saudável

O guia da nova cesta básica ainda orienta a retirar alguns alimentos mais ricos em gorduras, sódio e açúcar, como biscoitos recheados, misturas prontas para bolo e macarrão instantâneo. Isso porque, em excesso, o consumo desses alimentos pode ocasionar ganho de peso, doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e até alguns tipos de câncer.

Conheça aqui os dez grupos de alimentos que farão parte da nova cesta:

  • feijões (leguminosas)
  • cereais e tubérculos
  • legumes e verduras
  • frutas
  • castanhas e nozes (oleaginosas)
  • carnes e ovos
  • leites e queijos (laticínios)
  • açúcares e sal
  • óleo e gorduras
  • café, chá, mate e especiarias

Vale lembrar que é importante sempre nos atentarmos à forma de preparo dos alimentos em nossa casa, uma vez que grande parte do sal, do açúcar e da gordura que ingerimos vem da adição desses componentes na hora de cozinhar ou de consumir os alimentos.

Continua após a publicidade

+Leia também: Suplementos e saúde mental: é melhor que os nutrientes venham da comida

A moderação é sempre a melhor alternativa.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.