saudeLOGO Created with Sketch.

Alinhe as amizades com seu projeto de emagrecimento

As relações sociais moldam muitos comportamentos que interferem no ganho ou na perda de peso. Saiba como usar isso a seu favor

Você sabia que as relações pessoais podem determinar o sucesso ou o fracasso do seu projeto de emagrecimento? Não restam dúvidas de que nossas atividades e comportamentos são pautados pelo grupo com o qual convivemos socialmente.

A história de uma amiga minha deixa isso claro. Ela gostava de vinhos e tinha como hábito beber uma taça diariamente. Além disso, fazia parte de um grupo que se reunia semanalmente para degustações e harmonizações com alimentos.

Em um primeiro momento, esses rituais eram intocáveis — não havia justificativa que a fizesse desmarcar esses encontros regados a vinho. E lembre-se de que o álcool concentra calorias, assim como as comidas que o acompanham.

Certo dia, depois de ver uma pessoa próxima sofrer com complicações do diabetes, minha amiga resolveu dar um passo em outra direção: começou a caminhar uma vez por semana dentro do seu condomínio. Logo, ela conheceu outros moradores que também andavam por ali, ganhando companhia para a atividade física.

Esse grupo dava seus passos três vezes por semana. Ela gostou do convívio e decidiu colocar mais um dia de caminhada na agenda. Como a turma era variada, alguns participantes corriam ao invés de andar.

Eis que esse pessoal se inscreveu em uma caminhada que ocorreria no final de semana em apoio à prevenção do câncer de mama. A atividade mobilizou a todos e ela não quis ficar de fora. A distância do percurso era superior ao que minha amiga estava habituada, mas mesmo assim concordou em participar.

Detalhe: antes dessa prova, ela já havia notado que, quando tomava vinho, o exercício físico do dia seguinte era sempre mais sofrido. Então decidiu não beber na noite anterior à tal caminhada de apoio ao câncer de mama. E o seu desempenho a agradou.

Veja também

Foi então que suspendeu a bebida alcoólica nos dias anteriores às suas andanças. Com isso, a caminhada evoluiu e ganhou velocidade, diminuindo o tempo no qual percorria cinco quilômetros. Em pouco tempo, minha amiga já estava correndo — ao ponto dos seus companheiros de condomínio a chamarem para fazer parte de uma maratona de grupo em que cada um cobriria cinco quilômetros e pouco.

E lá se foi minha amiga.

Daí em diante, os treinos começaram a se intensificar e, para acompanhar sua nova turma, ela decidiu beber apenas nos dias de descanso. O vinho de todo dia caiu para três vezes na semana.

Logo na primeira prova de dez quilômetros, minha amiga pegou gosto pelo desafio de melhorar o próprio tempo. E para tanto, os treinos ganharam intensidade e frequência.

Hoje, ela corre maratonas sozinha, enquanto o consumo de vinho caiu para duas taças semanais.

Esse relato de caso mostra que muitas das nossas “paixões saudáveis” podem estar adormecidas dentro de nós. E o grupo que convivemos exerce um papel fundamental para despertar essa vocação e mudar os nossos comportamentos.

Sonhe seus projetos em grupo. Assim fica mais fácil de eles se tornarem realidade!