saudeLOGO Created with Sketch.

A união de biologia e tecnologia pode criar o 1º pâncreas bioartificial

Um dispositivo promissor pode, no futuro, medir a glicose dos pacientes com diabetes e automaticamente aplicar a dose certa de insulina

Há mais de três décadas, pesquisadores de todo o mundo se esforçam para desenvolver um pâncreas artificial que ajude pessoas com diabetes. A ideia é criar um dispositivo capaz de automaticamente medir as flutuações da glicose e, em seguida, aplicar a insulina. Tudo isso sem que o paciente tenha de se preocupar em contar carboidratos na dieta, analisar gráficos, calcular a dose de insulina…

Pois há uma nova promessa nesse front: a empresa Defymed, especialista em produtos médicos implantáveis, desenvolveu o MailPan. É uma espécie de bolsa implantável dentro do corpo, na parte mais superficial da parede do abdômen, e que contém no seu interior células produtoras de insulina geradas em laboratório a partir de células-tronco embrionárias.

A bolsa do dispositivo atua como uma espécie de escudo, impedindo o ataque do nosso sistema imunológico contra as tais células produtoras de insulina, que não possuem o mesmo DNA do paciente e, por isso, são vistas como inimigas. Em contrapartida, a mesma bolsa permite que essas células entrem em contato com o sangue da pessoa, detectando as concentrações de glicose em tempo real. A partir daí, elas secretariam a insulina de acordo com a necessidade. É um pâncreas bioartificial, assim por dizer.

A nova tecnologia ainda possui dois conectores ligados ao meio externo para que novas células produtoras de insulina sejam infundidas de tempos em tempos, segundo a necessidade.

Experimentos em camundongos e porcos mostraram sucesso no controle da glicose, porém pesquisas em humanos ainda não foram conduzidas. Apesar de o MailPan ser promissor, temos que aguardar resultados de eficácia e segurança de estudos sérios e bem feitos entre os indivíduos com diabetes.

Vamos aguardar!