Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês
É verdade ou fake news? Por Blog Notícia falsa faz mal à saúde. Com o apoio de especialistas e da ciência, desconstruímos os mitos que estão sendo curtidos e compartilhados.

Chá de erva doce cura a gripe – é boato

A mensagem de que a bebida teria a mesma substância do tamiflu, um antigripal, espalhou-se pelo WhatsApp. Mentira: essa erva não combate o vírus influenza

Por Da Redação - Atualizado em 6 mar 2020, 18h00 - Publicado em 17 Maio 2018, 17h29
chá de erva doce contra gripe
Trecho da notícia falsa que anda sendo divulgada por aí. Foto: André Biernath/SAÚDE é Vital

Você também recebeu no WhatsApp a história de que o diretor do Hospital das Clínicas de São Paulo orienta, entre outras coisas, a tomar chá de erva doce para curar a gripe, em especial a provocada pelo vírus H1N1? Segundo a mensagem, ele teria as mesmas substâncias do Tamiflu, um conhecido remédio antiviral que é usado contra o influenza.

O texto vem até com a receita de tomar a bebida de 12 em 12 horas – quem propõe isso é “um” infectologista do Hospital São Domingos. Pois bem: não curta e nem compartilhe, porque é notícia falsa.

Essa balela, aliás, nem é nova. Em 2009, quando sofremos com uma epidemia de gripe provocada eminentemente pelo vírus H1N1, ela já havia sido disseminada. Fake news é assim: vira-e-mexe ela volta (às vezes readaptada) para tentar se aproveitar dos desavisados.

O fato é: o chá de erva doce, por mais saboroso que seja, não possui fosfato de oseltamivir, o princípio ativo do Tamiflu. “Ele não tem nada de antigripal. Não existe nenhum chá comprovadamente eficiente para combater o influenza”, sentencia Nancy Bellei, da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Os chás em geral podem ajudar o paciente por serem relaxantes e contribuírem para uma hidratação adequada, o que é importante ao lidar com a gripe. No entanto, eles não devem ser vistos como remédios. Quer saber como tratar adequadamente essa infecção? Clique aqui.

Muitas vezes, nós pensamos que uma tática qualquer foi determinante para que, dias depois, a gripe fosse embora. Mas a verdade é que, em boa parte dos casos, o verdadeiro remédio é o tempo.

Ou melhor, ao longo dos dias, o sistema imunológico aprende a lidar com o subtipo do vírus influenza que o está importunando e arma um contra-ataque para expulsá-lo. Na gripe, isso demora de uma a duas semanas, mais ou menos.

Continua após a publicidade
Publicidade