Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Com a Palavra Por Blog Neste espaço coordenado pelo jornalista Diogo Sponchiato, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde

A atenção domiciliar na reabilitação das sequelas da Covid-19

Sistema de home care e equipe interdisciplinar pode ser necessário para tratar os diferentes problemas decorrentes da doença

Por Viviane Biar, médica* 23 mar 2021, 12h23

Mesmo passadas semanas ou meses da recuperação da fase aguda da Covid-19, muitos pacientes precisam receber o acompanhamento de profissionais de saúde para tratar fraqueza, falta de ar, perda muscular e outras sequelas da doença.

É nesse aspecto que o serviço de atenção domiciliar se reveste de uma importância tática, pois permite ao paciente continuar o tratamento com uma equipe interdisciplinar, que faz uma análise conjunta de suas necessidades para proporcionar uma assistência integral à saúde. E a reabilitação é toda feita em casa, evitando o risco de novo contágio em ambientes ambulatoriais.

A dificuldade para respirar (a dispneia) após pequenos esforços está entre as principais sequelas da Covid-19. Nesses casos, o paciente precisa de uma reabilitação específica para recuperar a aptidão física e a tolerância ao esforço, o que inclui a prática de exercícios respiratórios.

Nos quadros mais graves, o paciente fica temporariamente dependente do oxigênio extra. Durante essa fase, os cilindros são fornecidos pela empresa de atenção domiciliar. Ao apresentar melhoras, o paciente é submetido a uma reabilitação gradual a fim de respirar sozinho.

Continua após a publicidade

A fraqueza muscular é outra sequela importante, principalmente em internações superiores a 15 dias. Nos setores de isolamento, os pacientes não têm permissão de sair do leito e perdem a massa muscular e a motricidade. Nos casos graves, podem desenvolver polineuromiopatia, uma disfunção nos nervos periféricos que dificulta os movimentos. A sequela pode ser causada ainda pelo uso de bloqueadores neuromusculares, medicamentos que paralisam os músculos dos pacientes em ventilação mecânica.

Além da fisioterapia, a recuperação requer acompanhamento nutricional. Nutricionistas alinham com a equipe médica o aporte calórico e proteico necessário. Em pacientes com a função renal preservada, a programação alimentar deve contemplar no início entre 1,9 grama e 2,5 gramas de proteína por quilo de peso corporal. A dieta sofre ajustes até a recuperação total.

Psicólogos, que integram as equipes interdisciplinares, também podem dar suporte a pacientes e familiares que apresentam depressão, ansiedade e outros distúrbios mentais após a Covid-19. O que não é incomum.

Embora exista no Brasil há décadas, a atenção domiciliar ganhou outro patamar com a pandemia. Ela oferece em casa cuidados às pessoas curadas da doença, de modo a evitar que esses pacientes tenham de permanecer em hospitais, onde, mais do que nunca, precisamos de leitos disponíveis para dar assistência aos infectados pelo coronavírus.

* Viviane Biar é médica da Pronep Life Care, marca da Sodexo voltada a atenção domiciliar

Continua após a publicidade

Publicidade