Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês
Boa Pergunta Por Blog Dúvidas sobre saúde enviadas pelos leitores são respondidas pela redação com o apoio de especialistas.

Rachadura nos pés: quais as causas e os tratamentos?

Elas são tão inconvenientes quanto comuns. Conheça as causas e o o que é bom para eliminar as fissuras no calcanhar

Por Chloé Pinheiro - 3 fev 2020, 17h59

A leitora Jucy Alves nos pediu pelas redes sociais: “Por favor, falem sobre rachaduras nos pés. Sintomas, causas, remédios, cura… Dizem que tem ligação com a tireoide, será? Agradeço.”

Vamos lá, Jucy. As rachaduras nos pés são um problema super comum, resultado geralmente de uma mistura de espessamento da pele do calcanhar, impacto sobre ele e ressecamento.

Elas ocorrem quando usamos sapatos abertos, como chinelinhos, andamos muito descalços ou passamos anos e anos lixando a sola dos pés — que entende que deve produzir mais pele como defesa e promove esse “engrossamento”. Estar acima do peso também aumenta o risco de rachaduras.

Rachaduras no pé podem ser sinal de algo mais grave?

“Alguns problemas de pele aparecem junto com as fissuras, como psoríase, micose e alergias. Elas podem surgir tanto no corpo todo como só nos pés”, comenta a dermatologista Alessandra Romiti, coordenadora do departamento de cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Além disso, certas doenças crônicas contribuem com o ressecamento da pele. O diabetes é a mais comum. Mas o hipotireoidismo, uma disfunção na tireoide que a faz trabalhar em ritmo lento, também pode causar rachaduras no pé, viu Jucy?!

“O hormônio da tireoide estimula as glândulas sebáceas e sudoríparas. Quando ele está em falta, há uma diminuição da hidratação da pele, que fica mais grossa e seca, o que leva a rachaduras”, explica Maria Fernanda Barca, endocrinologista doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Continua após a publicidade

Agora, fissuras nos pés não integram os sintomas mais comuns do hipotireoidismo. “A relação não é tão direta assim. Os sinais mais clássicos são desânimo, cansaço, fadiga, queda de cabelos e alterações de humor”, opina Márcia Mestiço, endocrinologista na Clínica Simone Neri.

Agora, em caso de rachaduras frequentes, é necessário avaliar se há causas sistêmicas por trás. “Descartar hipotireoidismo e diabetes faz parte da investigação do problema”, aponta Maria Fernanda.

Tratamento e prevenção

Se o problema for só a rachadura, é possível fazer o tratamento local, que foca na hidratação. O dermatologista recomenda cremes específicos de acordo com as necessidades de cada um. Às vezes, cremes cicatrizantes chegam a ser recomendados.

“Mudanças comportamentais também ajudam. Falamos de controlar o peso, usar sapatos fechados com sola acolchoada e vestir meia de algodão”, destaca Alessandra. Essas medidas ainda previnem o surgimento de novas fissuras.

Só resista à tentação de lixar os pés ou utilizar receitas caseiras sem confirmar sua validade com o médico antes. Acredite: isso pode piorar o problema. Independentemente da origem, essas lesões são bem incômodas e abrem a porta para infecções oportunistas.

Por isso, não deixe de procurar o médico se elas aparecerem constantemente.

Continua após a publicidade
Publicidade