Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Caçadores de parasitas

Projeto mira a eliminação de sete doenças negligenciadas em estado nordestino

Por Chloé Pinheiro (colaboradora) Atualizado em 22 jan 2019, 14h47 - Publicado em 20 out 2015, 10h21

Em Pernambuco, os números de males como tuberculose e esquistossomose eram tão assustadores que fizeram o governo estadual criar um programa só para enfrentá-los.

O Projeto Sanar, parceria firmada entre a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, as universidades locais e os municípios, tinha como meta combater doenças tropicais provocadas por vermes, protozoários e bactérias, que atingem sobretudo a população de baixa renda da região.

Foram mais de 5 milhões de reais investidos na iniciativa, que atuou em 108 municípios. Além de realizar exames e tratamentos, as equipes capacitaram os moradores a continuar com as ações preventivas.

Ao fim do trabalho, a equipe melhorou os indíces de sete doenças. Isso seja derrubando a incidência, como no caso da esquistossomose (que, por exemplo, baixou sua prevalência de 72% entre a população em São Benedito do Sul para 30%), seja aumentando o acesso ao tratamento, como na hanseníase — em Lagoa Grande, o número de portadores que recebe suporte médico subiu de 25% para 90%.

O programa, de tão efetivo, levou para o Nordeste o troféu da Categoria Saúde e Prevenção do Prêmio SAÚDE 2008. A premiação, uma das mais respeitadas do setor, está na reta final para escolha dos vencedores da sua décima edição. E você pode ajudar nesse processo! Conheça os finalistas e dê seu voto clicando aqui.

Continua após a publicidade

Publicidade