Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

O que você precisa saber sobre a canela

Essa especiaria que dá gosto a chás e sobremesas pode fazer muito por sua saúde. Saiba como

Por Manuela Biz - Atualizado em 24 fev 2017, 14h57 - Publicado em 17 fev 2017, 16h07

Origem: Nativa do Sri Lanka, no sul da Ásia, a canela é utilizada desde a Antiguidade, mas se espalhou pelo mundo através das Grandes Navegações. Os portugueses a conheceram na Índia e logo incluíram-na no preparo das sobremesas. Foram eles os grandes responsáveis por trazer a especiaria até o Brasil.

Leia mais: As propriedades do cravo

Forma de uso: a canela como conhecemos é um pedaço de casca de árvore seca — ela é extraída com uma técnica especial de corte que permite a recomposição da planta. Pode-se fazer a infusão da casca (chá) ou moê-la e salpicar o pó nas receitas.

Com o que combina: doce e levemente picante, o tempero dá aroma a sobremesas, compotas de frutas, bolos, pães, biscoitos, mingaus, chás, batidas de frutas e iogurtes. Quer experimentar algo diferente? Acrescente um pouco de canela a marinados, picles e ensopados.

Com o que não combina: a especiaria é adstringente e não costuma cair bem em saladas frescas. E, claro, há gente que simplesmente não se dá bem com ela.

Benefícios nutricionais: a canela tem poder anti-inflamatório, mas é bastante lembrada por sua propriedade termogênica. De acordo com um estudo publicado no periódico Journal of Agricultural and Food Chemistry (Estados Unidos), ela acelera o metabolismo de células de gordura. Esse efeito, por sua vez, é ligado a prevenção da obesidade, de doenças cardiovasculares e do diabete.

Fontes entrevistadas: Vanderli Marchiori, nutricionista e fitoterapeuta de São Paulo, e Rosângela Carvalho, nutricionista e fitoterapeuta do Rio de Janeiro

Continua após a publicidade
Publicidade