Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Casca da jabuticaba também traz benefícios à saúde

Revestimento da fruta pode contribuir para regular açúcar no sangue! Entenda

Por Ingrid Luisa
21 jun 2024, 14h10

Não é à toa que a Narizinho do Sítio do Picapau Amarelo adorava comer jabuticaba: além de deliciosa, ela é rica em potássio e vitaminas C e do complexo B.

E sua casca é uma fonte especial de fibras e antioxidantes. A ponto de o ingrediente estrelar um experimento na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que testou seu potencial diante da síndrome metabólica, condição que reúne obesidade, diabetes, entre outros perigos à saúde.

O ensaio com voluntários com esse diagnóstico demonstrou que o consumo diário de 15 gramas da casca melhorou, após cinco semanas, os níveis de inflamação e glicose no sangue.

“Estudamos a jabuticaba há 16 anos, e imaginávamos que isso seria possível, mas foi interessante ver os resultados na prática”, diz o engenheiro de alimentos Mário Maróstica Junior.

+Leia Também: Vitaminas para queda de cabelo? Melhor não tomar, alertam médicos

Receitas com a casca da jabuticaba

A casca pode protagonizar preparos versáteis

Continua após a publicidade

Geleia
Cozinhar as cascas com um pouco de água tira a dureza e o amargor. Depois é só levar ao liquidificador, adoçar e aproveitar.

Chá
Uma colher de sopa de casca de jabuticaba será o suficiente para fazer um litro de infusão. E o bacana é que dá para aproveitar os efeitos.

Bolos e tortas
Para a massa, bata jabuticabas inteiras (com casca e caroço) no liquidificador junto a ovos, leite e açúcar. Uma base mais nutritiva.

Licor
Jabuticaba, açúcar e álcool de cereais podem ser colocados para descansar por alguns dias, dando origem a uma saborosa bebida.

Clique aqui para entrar em nosso canal no WhatsApp

Síndrome metabólica é o mesmo que obesidade?

Não. A obesidade é definida apenas pelo excesso de gordura corporal (IMC igual ou maior que 30). Já a síndrome metabólica é um conjunto de alterações fisiológicas e hormonais como diabetes, hipertensão, colesterol alto e acúmulo de gordura abdominal.

Geralmente, as duas condições caminham juntas, mas é possível ter um peso elevado e não conviver com os outros desequilíbrios no organismo.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.