Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Jogo contra o declínio mental dos cães

Cientistas usam telas interativas para estimular o cérebro de cachorros mais velhos

Por Goretti Tenorio 24 jul 2018, 09h50

Os cachorros também podem ficar com a memória e o raciocínio mais lentos ao envelhecer. Para melhorar e resguardar a capacidade mental de cães, uma equipe da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, na Áustria, fez um experimento inusitado.

Os bichos recebiam comandos para resolver desafios de imagem usando o focinho em uma tela de um computador. Quando acertavam, a máquina liberava um petisco. Centenas de cachorros passaram pelos testes e boa parte deles apresentou ganhos no comportamento exploratório, algo relatado pelos donos.

“É mais um recurso para diminuir as perdas neurológicas”, acredita a veterinária Ceres Faraco, do Centro Universitário Ritter, em Canoas (RS). “E as pessoas também podem ficar mais felizes e estimuladas a interagir com seus cães nesses jogos”, avalia. Os pesquisadores trabalham agora para levar a novidade ao mercado.

  • Sinais de que a idade está afetando a memória canina

    • Urinar e defecar fora do lugar habitual
    • Medo de ruídos e luzes
    • Agressividade
    • Sonolência e lentidão

    Métodos caseiros para lidar com isso

    Passeios: Cores, cheiros e desafios no caminho instigam o cérebro canino.

    Brincadeiras: Vale esconder os objetos preferidos do cão e recompensar quando ele achar.

    Toque: Exercícios de fisioterapia ou um simples carinho renovam o ânimo.

    Aromas: Variar os cheiros dos ambientes ajuda na orientação espacial.

    Gostosuras: Novos sabores ativam o paladar. E já existe ração para melhorar a função cerebral.

    Socialização: Interagir com outros animais e pessoas é uma maneira de evitar a apatia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade