Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O efeito da Covid-19 na saúde reprodutiva do homem

Estudo brasileiro traz achados essenciais para prevenir e buscar reverter problemas na saúde sexual e reprodutiva decorrentes do coronavírus

Por Da Redação 17 fev 2022, 20h43

“O coronavírus veio para ficar e é mais uma preocupação para a saúde do homem, sobretudo pelo seu potencial de impacto na fertilidade, já tão afetada por fatores ambientais e estilo de vida.”

O alerta é do andrologista Jorge Hallak, do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), um dos centros envolvidos no projeto vencedor da categoria Inovação em Prevenção e Promoção à Saúde do Prêmio Dasa de Inovação Médica com VEJA SAÚDE 2021.

“Desde os primeiros pacientes com Covid-19 tratados no Hospital das Clínicas da USP, observamos alterações nos exames hormonais e de espermatozoides”, recorda o médico.

Hallak e companhia foram fundo nesse trabalho de detetive e desvendaram que o Sars-CoV-2 consegue chegar aos testículos e agredir tanto as células precursoras de espermatozoides quanto as produtoras de testosterona e os vasinhos que irrigam a região. Isso foi constatado em homens com diferentes manifestações da doença, das formas assintomáticas e leves às mais graves. Dê o play no vídeo para entender melhor.

Para entrar nas células, o vírus tem que abrir a porta, ou seja, precisa se ligar a um receptor. É o caso da enzima conversora de angiotensina 2 (ACE2), abundante nos testículos (e nos pulmões).

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Uma vez instalado e se replicando ali, o patógeno pode provocar lesões capazes de comprometer a produção de testosterona e espermatozoides. São achados cruciais para prevenir e buscar reverter problemas na saúde sexual e reprodutiva decorrentes do coronavírus.

O ideal, segundo Hallak, é que os homens que tiveram a infecção façam avaliações por pelo menos dois anos após a convalescença. Já que indivíduos mais novos e adolescentes podem ter sido infectados sem saber, o especialista recomenda maior atenção na procura pelas causas de infertilidade no pós-pandemia, assim como na escolha das técnicas de reprodução assistida.

Esse trabalho foi vencedor da categoria Inovação em Prevenção e Promoção à Saúde do Prêmio Dasa de Inovação Médica com VEJA SAÚDE 2021.

Nome original do trabalho: Efeitos reprodutivos e sexuais da infecção pelo Sars-CoV-2 em pacientes do sexo masculino com Covid-19: novas descobertas e consequências futuras

AUTORES: Jorge Hallak, Paulo Hilario Nascimento Saldiva, Esper Georges Kallas, Marisa Dolhnikoff, Amaro Nunes Duarte Neto, Elia Tamaso Espin Garcia Caldini, Thiago Afonso Teixeira, Felipe Saraiva Bernardes, Felipe Carneiro e Heloisa Faquineti.

INSTITUIÇÕES: Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Instituto e Centro Androscience – Centro de Ciência e Inovação em Andrologia, Divisão de Clínica Urológica do Hospital das Clínicas da FMUSP e Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA-USP).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês