saudeLOGO Created with Sketch.

Síndrome de burnout: de quem é a culpa? – podcast Detetives da SAÚDE

O esgotamento associado ao trabalho atingiu proporções epidêmicas. Neste episódio apoiado pela Bayer, contamos o porquê e o que fazer diante disso

Varrida para debaixo dos carpetes dos escritórios por anos, a síndrome de burnout finalmente ganhou os holofotes. De um lado, personalidades como a jornalista Izabella Camargo encararam de frente o esgotamento físico e mental associado ao trabalho. Do outro, o próprio número de brasileiros com esse quadro chamou a atenção: uma a cada três pessoas com um emprego no nosso país já sentiram na pele essa exaustão intensa e contínua. Mas o que está por trás dessa aparente epidemia? Qual a responsabilidade das empresas e qual a dos funcionários na prevenção do problema? E por que tantos profissionais de saúde sofrem com o burnout? Este é o tema do podcast Detetives da SAÚDE (que você pode ouvir logo abaixo).

Ao longo do episódio, o psiquiatra Daniel Barros, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo, define o que realmente é a síndrome de burnout. Não, ela não é corpo mole ou frescura – tampouco aquele cansaço que você sente no fim do expediente. “Trata-se de um desencontro entre o trabalhador e o trabalho com repercussões que podem ser sérias”, contextualizou Barros.

Os métodos de prevenção do burnout, assim como as formas de controlá-lo, merecem um capítulo à parte no episódio. E com direito a participação especial do médico João Silvestre da Silva-Junior, professor de Medicina do Trabalho do Centro Universitário São Camilo. Ele coloca pontos importantes para as empresas implementarem em nome do bem-estar e da produtividade da equipe. “Cuidar do trabalhador é lucrativo”, afirmou Barros.

E mais: o que você faz fora do serviço é fundamental na prevenção do burnout! Sua relação com as novas tecnologias, com o sono e com seus relacionamentos têm o poder de afastar ou agravar o esgotamento ligado ao trabalho.

Esse podcast ainda destina um espaço para falar de um dos principais públicos afetados pelo burnout: os médicos e os profissionais de saúde em geral. Para eles, já há até uma iniciativa de conscientização: o projeto “Se Cuida, Doutor”.

Você pode ouvir esse programa em diversas plataformas. Estamos no Spotify, no Deezer, no Google Podcasts, no Pocket Casts, no Youtube… Não sabe como ouvir nesses ambiente? Clique aqui.

Dá para ouvir pelo Spotify:

 

Pelo Youtube:

 

Ou, se quiser, escute pelo nosso site: