saudeLOGO Created with Sketch.

O paciente LGBT+ no consultório médico

Neste episódio do podcast Detetives da SAÚDE, você vai entender quais os obstáculos para que essa população tenha mais saúde e qualidade de vida

Em 2010, o governo brasileiro criou a Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Mas seria fácil se necessitássemos apenas de uma canetada para garantir qualidade de vida e um bom acesso à saúde ao público LGBT+. Como garantir um melhor atendimento médico a esse pessoal? E quais os principais obstáculos para isso? Esses são os temas principais deste episódio do podcast Detetives da SAÚDE.

Um dos convidados para o programa é o psiquiatra Daniel Mori, do Ambulatório Transdisciplinar de Identidade de Gênero e Orientação Sexual do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (HC), em São Paulo. Segundo ele, é imprescindível criar um vínculo aberto e de confiança com o profissional de saúde. “Quando o paciente LGBT não se sente à vontade com o médico […], a chance de retornar é oito vezes menor”, sentencia. E, sem acompanhamento, fica mais complicado evitar ou tratar qualquer doença. 

Ainda assim, o preconceito  e a falta de conhecimento reinam nessa área, segundo a endocrinologista Elaine Maria Frade Costa. Chefe do Ambulatório de Transexualismo do Serviço de Endocrinologia e Metabologia do HC, a médica conta no podcast um episódio muito triste. Em resumo, o reitor de uma universidade não permitiu que ela usasse a palavra “trans” para divulgar um curso que estava dando sobre saúde trans. É ou não é um absurdo?

Ao longo do episódio, os dois especialistas falam sobre as particularidades de saúde do público LGBT+, da falta de formação médica no assunto e até da cirurgia de adequação ao gênero.

Você pode escutar esse programa em diversas plataformas. Dá para clicar ali em cima e ouvir no nosso site mesmo. Também estamos no Spotify, no Deezer, no Google Podcasts, no Pocket Casts, no Youtube… Não sabe como ouvir nesses ambientes? Clique aqui.

Se preferir, dá para ouvir pelo Spotify diretamente aqui:

 

Ou pelo Youtube: