Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O saldo mental das quarentenas

Estudo britânico aponta, em números, o impacto da pandemia e do isolamento social na cabeça dos cidadãos

Por Diogo Sponchiato 18 dez 2020, 14h31

Que a pandemia de Covid-19 e o isolamento social mexeram com a nossa cabeça ninguém duvida. Pois um levantamento liderado pela Universidade de Glasgow, na Escócia, comprova, em números, o fardo dos lockdowns entre mais de 3 mil britânicos.

Por meio de questionários, os pesquisadores descobriram que mulheres, jovens e cidadãos mais vulneráveis socialmente ou que já tinham diagnóstico de transtorno psíquico foram os mais impactados pela situação.

Foram significativos os sinais de ansiedade e depressão reportados, além do índice de pensamentos suicidas — 14% dos entrevistados entre 18 e 29 anos relataram ter vivenciado isso no período.

21% dos britânicos tiveram sinais expressivos de ansiedade.

26% apresentaram sintomas depressivos.

10% revelaram ter tido pensamentos suicidas.

Continua após a publicidade
Publicidade