Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Encontrado forte elo entre dor crônica e ansiedade ou depressão

Os incômodos físicos, segundo uma nova pesquisa nacional, estão intimamente conectados com transtornos mentais. Por que será?

Por Ludmilla Souza (Agência Brasil) Atualizado em 14 fev 2020, 18h25 - Publicado em 26 jul 2017, 18h35

Um estudo do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas de São Paulo traçou uma relação bidirecional entre ansiedade ou depressão e problemas crônicos, com destaque para as dores. O levantamento, baseado em questionários respondidos por 5 037 moradores da região metropolitana de São Paulo com 18 anos ou mais, mostra que os incômodos duradouros estavam presentes em 50% dos sujeitos com transtornos de humor (depressão ou bipolaridade, por exemplo) e em 45% dos ansiosos.

“É preciso reconhecer a comorbidade entre ansiedade e depressão e as dores crônicas”, diz a psiquiatra Laura Helena Andrade, coordenadora do Núcleo de Epidemiologia Psiquiátrica do IPq e uma das autoras do estudo. Dos cerca de 11 milhões de adultos da região metropolitana de São Paulo, 10%, sofreram com depressão nos últimos 12 meses. Já os transtornos de ansiedade acometem mais de 2,2 milhões de paulistanos – 990 mil também apresentam dor crônica.

Estudos anteriores já haviam mostrado de forma consistente a associação de doenças crônicas com transtornos de humor e ansiedade. Mas ainda não se sabe porque a relação especificamente com a dor é tão intensa. “Uma das hipóteses envolve questões comportamentais”, introduz Laura. “As pessoas ficam inativas quando têm depressão, o que promove dores. Por outro lado, a própria dor leva ao sedentarismo, o que aumenta a depressão”, argumenta.

Além disso, a psiquiatra destaca que o estresse psicológico promove um estado inflamatório dentro do organismo. E isso pode desencadear desconfortos e mesmo outras encrencas físicas. Para ter ideia, 30% dos participantes ansiosos apresentavam males respiratórios e 10% sofriam com panes cardiovasculares. De acordo com a pesquisadora, ainda é preciso estudar mais a interação entre depressão, ansiedade e enfermidades crônicas.

Este conteúdo é o resumo de uma publicação originária da Agência Brasil.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)