Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como deixar (e manter) seu cérebro afiado

Desafiar-se e fazer amigos é mais importante do que focar nas palavras cruzadas, ensina médico em novo livro

Por André Bernardo
25 ago 2022, 17h18

O neurocirurgião americano Sanjay Gupta, de 52 anos, é uma espécie de “Indiana Jones da medicina”. Sempre que há uma guerra, um terremoto ou um tsunami, costuma aparecer para socorrer as vítimas e cuidar dos sobreviventes.

Quando não está viajando pelo mundo ou operando pacientes no Grady Memorial Hospital, Gupta está em sua casa em Atlanta, onde mora com a família, escrevendo. Mente Afiada — Desenvolva um Cérebro Ativo e Saudável em Qualquer Idade (Sextante) é seu quarto e mais novo livro.

Nele, o médico compara o cérebro humano a um prédio histórico que, para se conservar de pé, precisa de “manutenção de rotina” e “reformas ocasionais”, como praticar atividades cognitivamente estimulantes e manter-se socialmente engajado. “Mudanças pequenas trazem um resultado imenso”, garante Gupta.

Além do passeio pelos neurônios e suas sinapses, o médico discorre sobre experiências que marcaram sua vida, caso de uma viagem pela Amazônia, o aprendizado da meditação analítica com o próprio dalai-lama e um encontro com o astrofísico inglês Stephen Hawking, que o aconselhou a nunca desistir de trabalhar, pois isso dá sentido à vida.

Continua após a publicidade

“Manter-se engajado no trabalho, principalmente quando ele é gratificante, tende a deixar as pessoas fisicamente ativas, socialmente conectadas e mentalmente desafiadas”, escreve o neurocirurgião.

capa do livro
(Capa: Sextante/Divulgação)

Mente Afiada
Autor: Sanjay Gupta
Editora: Sextante
Páginas: 320

Continua após a publicidade

+ LEIA TAMBÉM: Conheça o sistema de faxina cerebral

10 dicas para ter uma mente (cri)ativa

Que tal adotar um hábito novo por semana? Lembre-se: progresso é melhor do que perfeição

Desafie seu corpo
Não é só ele que precisa de movimento. O cérebro também. Se você já está acostumado a praticar exercícios, tente algo diferente. Se gosta de nadar, pedale. Se o lance é correr, faça trilha. E nunca é tarde para começar.

Continua após a publicidade

Fuja do sedentarismo
Se faltam horas no seu dia para fazer atividade física, algo está errado. Repense as prioridades. Não se trata de aparência ou vaidade, mas de bem-estar. “Ratos de sofá” tendem a ficar com o cérebro mais atrofiado.

Misture estímulos (quando possível)
Ande enquanto fala ao telefone, troque o elevador pela escada e estacione longe do trabalho. Uma ideia é sair com um amigo que você não vê há tempos para uma caminhada. Outra é fazer ioga enquanto assiste a uma série.

Tenha um propósito
Uma frase atribuída ao escritor americano Mark Twain diz que os dois dias mais importantes da vida são aquele em que você nasce e o que descobre o porquê. Se gosta do que faz, evite a aposentadoria.

Continua após a publicidade

Pratique a resiliência
Aprenda a enfrentar os desafios. Buscar rotas alternativas para chegar ao seu destino, mais do que simplesmente desistir da viagem. Improvise em vez de lamentar-se. Um cérebro resiliente tem mais energia.

Mantenha-se conectado (de verdade)
Resolver palavras cruzadas e montar quebra-cabeças é bom, mas fazer novas amizades e conservar as antigas pode ser ainda melhor para a cognição. Procure sair mais de casa e ser um indivíduo socialmente ativo.

Ame aprender
Falar um idioma novo, tocar um instrumento, começar a pintar… Bote seu cérebro para fazer coisas com as quais ele não está acostumado. Se você é destro, escove os dentes com a mão esquerda (e vice-versa).

Continua após a publicidade

Esqueça o multitarefa
Em vez de fazer várias coisas ao mesmo tempo, concentre-se em uma de cada vez. Algumas atividades, como conversar e caminhar, podem ser feitas simultaneamente. Outras, como dirigir e falar ao celular, nem pensar.

Respeite o sono
Se você se orgulha de dormir pouco, convém repensar. Dormir bem é como apertar o botão de reset do cérebro. E um cérebro renovado é um cérebro saudável. O ideal é repousar pelo menos sete horas por noite.

Procure relaxar
Você não descansa apenas enquanto dorme. Descansa também quando está acordado. Gupta aposta na meditação analítica, mas há outras fórmulas que podem funcionar, como ioga, tai chi e exercícios de respiração.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.