saudeLOGO Created with Sketch.

Sites confiáveis para se informar sobre doenças e não cair em fake news

Encontre dicas bacanas para ter qualidade de vida e dados verdadeiros sobre câncer, vacinas, enfermidades crônicas e outros temas

Em plena epidemia de boatos sobre saúde difundidas pelas redes sociais, como saber qual informação é confiável? Uma tática é seguir perfis nas redes sociais que fazem conteúdo sério e detectar os picaretas (falamos sobre isso aqui). Outra coisa fundamental é ficar de olho no site da SAÚDE (um veículo com mais de 35 anos de experiência na divulgação de notícias sobre o tema).

Mas não para por aí. Há sites oficiais, ligados a instituições reconhecidas, que oferecem conteúdos de qualidade para os mais diversos assuntos. Fizemos uma lista para te ajudar a se atualizar sem riscos na internet:

Para checar possíveis fake news

O Ministério da Saúde desenvolveu um espaço chamado Saúde Sem Fake News. Ele inclui um canal para esclarecimento de boatos no WhatsApp, um dos maiores difusores das informações duvidosas. O site compila as principais notícias falsas, com respostas referenciadas em documentos oficiais.

Também vale a pena ficar de olho no nosso blog “É Verdade ou Fake News?”. Você pode mandar sugestões de pauta sobre notícias duvidosas pelas nossas redes sociais. Nós vamos checar a veracidade da história e retornar para você!

No mais, recomendamos acessar a Agência Lupa, a primeira especializada em checagem de fatos do país, com certificação internacional da IFCN (International Fact-Checking Network). Ela tua com mais foco na política, mas verifica algumas notícias sobre saúde, em especial as que envolvem o atendimento no sistema público. (https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/) A agência permite sugestões de checagem anônimas via formulário online.

Para notícias sobre câncer

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) tem um site bem completo com dados sobre a prevalência de tumores no Brasil e métodos cientificamente comprovados de prevenção e tratamento do câncer.

Outra dica valiosa é visitar a página do Instituto Oncoguia, uma organização que mantém um portal de informações para pessoas diagnosticadas com um tumor. É possível, por exemplo, conhecer em detalhes os tratamentos e as consequências físicas e emocionais da doença.

Para consultas sobre medicamentos e fitoterápicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão responsável por autorizar a comercialização de medicamentos no país. No site da entidade, você encontra informações preciosas, como o valor máximo de um remédio; consulta se uma substância é considerada tóxica; verifica produtos irregulares que estão saindo do mercado… e ainda lê esclarecimentos sobre fitoterápicos e plantas medicinais.

No começo, pode ser um pouco complicado navegar pelas páginas da Anvisa. Mas, com o tempo, você se acostuma.

Para saber sobre vacinas

Está aí um tema atingido constantemente pelas fake news. A Sociedade Brasileira de Imunizações Clínicas (SBIm) mantém um site para a população com respostas a dúvidas frequentes sobre as vacinas disponíveis nas redes pública e privada: é o Família SBIm.

O Ministério da Saúde também tem um portal bem completo sobre o tema, com destaque para o Calendário Nacional de Vacinação.

Sociedades de especialidades médicas

Essas organizações são responsáveis por unir profissionais de determinada área para diversas ações, de campanhas de prevenção a atualização dos tratamentos. Para o público em geral, elas são uma ótima fonte de informação sobre causas, sintomas e tratamentos de doenças. E também nos ajudam a encontrar os profissionais que são referência nessa especialidade.

A Sociedade Brasileira de Diabetes e a de Hipertensão são dois exemplos. Mas há várias espalhadas pela internet.

Associações de paciente

Receber o diagnóstico de uma doença crônica não é fácil. Se você tem dúvida sobre condições específicas, procure associações de pacientes, que reúnem informações confiáveis sobre prevenção, diagnóstico e tratamento. Essas entidades têm um olhar mais humano sobre a doença e fazem ações para garantir apoio às famílias.

Bons exemplos são:

E um último recado: se você tem sugestões de outros sites que poderíamos incluir nessa lista, avise-nos pelo Facebook ou Instagram que verificaremos sua solicitação.