Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Síndrome da carteira causa dores e até desvio na coluna

Apesar de ser um hábito comum para os homens, sentar com a carteira no bolso traseiro pode gerar problemas bem desagradáveis

Por Ana Luísa Moraes
Atualizado em 14 fev 2020, 18h27 - Publicado em 21 jun 2017, 15h53

O nome causa estranhamento, mas a síndrome da carteira existe e é mais comum do que parece. Marcada por problemas causados pelo costume de ficar sentado em cima desse objeto, ela acomete principalmente o sexo masculino. E não é bobeira não!

“Quando nos sentamos em cima da carteira, ela pode apertar o nervo ciático”, explica Adriano Scaff, neurocirurgião especialista em medicina da dor. “Essa compressão por um longo período faz com que falte sangue e oxigênio no local”.

Vamos por partes: o tal nervo ciático, considerado o maior do corpo humano, origina-se na região lombar. Suas ramificações descem pelas pernas, chegando até os pés.

Ou seja, ao pressioná-lo demais com uma incômoda carteira, você pode apresentar dor e formigamento nos membros inferiores e nas nádegas. Mais do que isso, a coluna fica em risco de sofrer um desvio (escoliose) e há a possibilidade de que o quadril tenha uma ligeira alteração no alinhamento.

Gente que vive com a carteira no bolso traseiro pode precisar até de fisioterapia para relaxar eventuais estruturas abaladas. “Em último caso, se as dores persistirem, entramos com medicação”, conta Scaff. Porém, a recomendação número um para aliviar o desconforto e evitar transtornos futuros é também a mais simples: achar um lugar mais propício para a carteira e se sentar com todo o conforto que você merece.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.