saudeLOGO Created with Sketch.

Qual é a forma correta de lavar o nariz?

A limpeza diária é a melhor maneira de desentupir o nariz e controlar a rinite. Aprenda como realizar essa faxina para, enfim, respirar bem

Frio, pólen, poeira, pelos de animais… Existem diversos fatores que podem irritar as paredes internas do nariz. Essa região fica sensível especialmente nos indivíduos com rinite alérgica. Neles, o menor contato com alguns compostos já provoca um quadro de inflamação, marcado por inchaço das mucosas e a produção excessiva de catarro. Como lavar o nariz? A gente conta abaixo:

1. O preparo

O produto ideal para fazer a lavagem nasal é o soro fisiológico comum, disponível em qualquer farmácia. Ao comprar um frasco maior, guarde-o na geladeira para preservar o conteúdo e retire o líquido uns minutos antes para que ele não fique tão gelado. Se preferir, existem opções específicas para essa finalidade.

2. A ação

O melhor cômodo para fazer esse processo é o banheiro. Posicione-se em frente ao espelho. Depois, aponte o nariz na direção do ralo da pia, com a cabeça levemente inclinada para a frente e a boca aberta. Com uma seringa sem agulha, pegue de 10 a 20 mililitros de soro fisiológico e aplique em cada uma das narinas.

3. O efeito

Ao entrar pelas cavidades, o líquido ajuda a eliminar impurezas, especialmente o excesso de muco que está acumulado por ali. Isso já amplia o espaço e permite que o oxigênio e o gás carbônico transitem melhor.

Em longo prazo, a prática ainda reduz a inflamação e o inchaço.

4. A periodicidade

No final, use um lenço para tirar o excesso de umidade. O indicado é realizar o procedimento ao menos duas vezes ao dia, ao acordar e antes de dormir — no inverno e na primavera, mais limpezas podem ser necessárias.

Converse com seu médico para saber se existem outras recomendações destinadas a você.

Veja também

Os principais gatilhos de uma crise alérgica

Pólen: os grãos pequeninos produzidos pelas plantas são um tormento para quem tem rinite. O jeito é evitar praças e parques na primavera.

Ácaro: esse aracnídeo microscópico vive em vários tecidos. Lavar a roupa de cama e botar colchão e travesseiro no sol são boas atitudes.

Mofo: os fungos adoram locais quentes e escuros, como o fundo de armários e gavetas. De vez em quando, passe um pano úmido e deixe secar.

Não confunda os produtos

Muito cuidado com aqueles remédios que prometem desobstruir a respiração num zás-trás. Diferentemente do soro fisiológico, que é basicamente água e sal, esses fármacos carregam substâncias que contraem os vasos sanguíneos.

Eles até funcionam em curto prazo, mas o uso crônico leva à dependência e pode trazer prejuízos ao coração. Nunca compre esses medicamentos sem a orientação de um profissional de saúde.

Fontes: Maria Cândida Rizzo, coordenadora do Departamento Científico de Rinite da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai); Cícero Matsuyama, otorrinolaringologista do Hospital Cema (SP)