Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Ministério amplia acesso ao contraceptivo DIU no SUS

Agora, mulheres podem recorrer ao dispositivo intrauterino logo após o parto ou um aborto, o que garante maior proteção contra gestações indesejadas

Por Aécio Amado (Agência Brasil) - Atualizado em 9 jan 2018, 17h01 - Publicado em 11 dez 2017, 14h19

O acesso pelas mulheres ao DIU (dispositivo intrauterino) de cobre no Sistema Único de Saúde (SUS) foi ampliado desde o dia 8 de dezembro de 2017, conforme portaria do Ministério da Saúde publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.

De acordo com o documento, o DIU de cobre terá disponibilização feita pelos estados, municípios e o Distrito Federal (DF) às maternidades integrantes do SUS, para “anticoncepção pós-parto ou pós-abortamento imediatas”. Antes, o acesso estava restrito às Unidades Básicas de Saúde (UBS).

As mulheres que optarem pelo método agora podem sair do hospital após o parto ou o aborto com ele já implantado. No primeiro caso, ele fica disponível por até 48 horas – se esse prazo estourar, a mulher deverá esperar 40 dias para realizar o procedimento, segundo o Ministério da Saúde. Para saber mais sobre os diferentes tipos de DIU, clique aqui.

“Os gestores estaduais, do Distrito Federal e municipais terão até 90 dias, a contar da data de publicação da portaria, para adequação da rede de atenção e das maternidades na oferta do DIU pós-parto e pós-abortamento imediato”, reitera a portaria. Ou seja, na prática, três meses separam as mulheres dessa maior facilidade de acesso.

Continua após a publicidade

Este conteúdo foi publicado originalmente na Agência Brasil.

Publicidade